21.10.10

O amor


O amor é polêmico.
O amor é vulgar.
O amor é inquietador.
O amor é sedução e vida.
O amor é simplesmente o amor.
O amor nos deprime.
O amor nos alegra.
O amor nos transforma.
O amor dita nossas regras.
O amor enlouquece.
O amor perturba.
O amor é o amor.
O amor nos empalidece.
O amor nos enaltecesse.
O amor é o amor.
A vida é feita de amor.
A família é feita de amor.
As nossas escolhas são feitas por amor a vida.
O amor é movimento.
O amor é sedutor.
O cupido negro, o anjo mau.
O amor é social. É casual.
O amor pode ser mau.
O amor pode ser burro.
O amor pode ser cego.
O amor pode ser perdão.
O amor pode ser perda.
O amor é trino, é uno, é sem limites.
O amor é expresso.
O amor é luta.
O amor é um ideal.
O amor é um sonho.
O amor é uma esperança.
O amor é o amor.
Não se precisa estar apaixonado para falar de amor.
Amor é vida. Amor é educação. Amor é cultura.
Mas amor que é simplesmente amor,
Não seduz, não se multiplica.
Não se difere, não se publica.
Este é o amor. Este é o dilema.
Amor é doença, amor é fatal,
Amor é traição. Amor leva-nos ao bacanal.
Amor: simplesmente uma palavra.
Amor: simplesmente um sentimento.
O mudar com tudo.
Iluminar sua mente.
Amor é equilíbrio.
Amor é amar.


By: AyKe.Hanedef.


18.10.10

Fim da Lascívia


Eu vivi sempre em busca de amplas respostas.
Em busca estressante porém busca dilatada, larga em sentidos.
Mas eu jamais gostaria de ouvir algo indesejado aos meus ouvidos.
Você pode aguentar a pressão, mas é espaçoso, quer seu espaço.
Não está liberto, vive encarcerado, passa por extensas crises.
Mas o importante é saber o por que você buscou por seu mundo de perfeição.
Então ele vai, mesmo sabendo que o caminho é comprido. Possui ao menos ambição.
Mas ser ridículo não nos conforta nas crises. Tentamos ser normais.
Com a esplêndida loucura seu ridículo aparenta ser bom.
Com o pensamento difuso, com palavras minuciosamente preparadas,
Comando cerebral demorado, ofensas e palavras duradouras e usurpadas.
O vento frio, o calafrio que ultrapassa para a alma.
A sensação da dor da perda, do final de alguém.
Então vem o sofrimento. Tudo foi avisado, demonstrado sinais.
Com a criança e sua brincadeira veio o calafrio, sua mente se inflamou.
Após tudo, o degolamento, os tiros, as facadas e o fim. A criança não chorou.
Com o infeliz adolescente sua principal revelação.
Veio o calafrio, com ele os gritos, a mente atordoada, a percepção.
Após tudo o descanso, o erro, a separação. O adolescente ficou só no mundo.
Com o jovem, depois do sofrimento, veio o calafrio.
Após tudo, o mesmo erro, a doença, mas ainda não a morte.
Buscava por respostas. A terra engoliu meu amor, meu passado.
Não pertenço ao mau. Busquei por caminhos errados. Por desvios dispensáveis.
Agora calculo o que realmente existe em cada ação e atitude.
Sei que é bom, sei que será bom, sei que foi bom.
Encontrei o equilíbrio. Não vivemos sem um Deus.
Apenas não devemos se apegar demais a conceitos pré-programados.
Devemos nós mesmos buscar por nossos conceitos próprios.
Posso empalidecer, posso desfalecer, posso morrer.
Posso enriquecer, posso reviver, posso apenas ser.
Posso tantas coisas. Não vivo de lascívia. Posso tudo.
Sou livre por poder fazer tanta coisa.
Busco por saúde espiritual para realizar mais.
Não desânimo. Sei que escrevo para mim mesmo.
Mas não deixo de manifestar o que realmente eu penso.
O que realmente eu sou, o que realmente eu faço.
Se penso, sou e faço, sou livre para tudo.
Por isso revelo: penso sim em amor.
Por isso revelo: sou sim uma verdade.
Por isso revelo: faço sim coisas impossíveis.
Fim da lascívia. Mãos a obra!.

By: AyKe.Hanedef.


13.10.10

A Redoma de Fogo


Atrás de sua redoma de trevas,
Com seu rosto ensanguentado. O ser manipula e é manipulado.
Tudo deve se encaixar na sua realidade, se não vira uma tragédia.
A contradição é seu codinome, e não vive de fantasmas passados.
Busca a perfeição. Vive em sua redoma. Atinge a realidade.
Despedaça você e sua vida e ri com um sorrisinho assassino. Que sucesso!
É um embrião, é incapaz de se mover. Viva a sua redoma!.
Seu estilo é único. Vaidade o conduz. Seus pés de porcelana.
Busca por lugares. Busca as pessoas. Busca por fogo, pelo falo.
Sua capa preta esconde a sua grande glória. Sua ascensão nas sombras.
Sua doença não é buscar beleza. Sua doença é vergonhosa, é normal.
Quer o seu amor. Antes porém, busca a sua alma.
O psicodélico é nebuloso. Paz de corpo, guerra de espíritos.
Você nasce da mulher. Homem porém é seu criador.
Essa é a redoma. O santíssimo segredo da vida. Sexo é religião.
Não querem seu dinheiro. Mentem sobre o assunto. Querem você.
E você pertence a este jogo, não questione. Use sua mente vadia de poder.
Vire o predador porque todos apenas são presas. Fracos elos.
Não mostre seus dentes, mostre suas garras. Redomas de fogo.
Não temos absolutamente nada a perder. Tudo é uma mentira verdadeira.
Você vaga pelos mundos em busca do fogo sagrado.
O espírito busca o equilíbrio. O corpo busca a perdição.
Você luta contra o carnal, você busca por respostas que te satisfaçam,
Que encham sua barriga sem dar indigestão.
Fingir que sabe não muda sua vida. Busque por respostas.
Pense o porque das coisas, o porque das letras e palavras.
Viva!. Você é um espectador barato, manipulado, enfeitiçado!.
O segredo do embrião é sua redoma de fogo.
O segredo da religião é absolutamente um segredo.
Quem não sabe fala, quem não fala sabe.
Se vai com sua redoma, serpente venenosa, pestilenta cobra do deserto.
Pode ser carbonizado por sua redoma,
Mas sabe lidar com o fogo. Sabe lidar com seu cinza.
Sabe lidar com você. Cuidado.
Fujo da guerra dos mundos, possuímos redomas.
Buscam nossas almas. Manipulam nossas mentes.
O fogo queima e se apaga. E sua alma se inflama.
E tudo se acaba, tudo se basta do fim.

By: AyKe.Hanedef.

10.10.10

Se...

Se eu não fosse apenas um mero garoto.
Se pudesse ao menos uma vez pensar em alguém.
Se eu quisesse curar minhas dores.
Se eu tivesse um outro lugar para morar.
Se conseguisse viver com meras quedas.
Se sofresse menos a cada segundo que respiro.
Se parecer feliz me basta, me basto só.
Se aparentasse ser um pouco menos egoísta.
Se transformasse minha vida em solução.
Se vendesse minha alma e me deparasse com a face da morte.
Se devorasse corações em vez de ser devorado.
Se momentos bastassem por uma vida.
Se tudo estivesse ao nosso alcance.
Se você fosse recompensado por viver mal.
Se mudança fosse algo normal, e você sempre mudasse.
Se não existissem lágrimas, apenas sorrisos.
Se a vida parasse em determinados momentos.
Se sua familia fosse cinematográfica. Tudo acabaria bem.
Se sorrisos crescessem em árvores e ninguém dissesse não.
Se o silêncio fosse menos doloroso.
Se valorizassem o que você faz.
Se a morte vangloriasse o homem.
Se viver fosse uma grande mentira.
Se pudesse escolher aonde e com quem morar.
Se os problemas acabassem e tudo fosse como antes.
Se...
Só sei que meus "se", não valem mais a pena.
Tenho que mudar e sou obrigado a isto.
Uma hora tudo iria pedir por mudança.
Vou ter que acostumar-me com isto.
Vida sintética, vida patética, pessoas ignorantes.
Lugares mesquinhos, desejo profano. Seres pensantes?
Vá dizer ao mundo o que você pensa sobre ele.
Cansei de "se". Não vale a pena se estagnar por pessoas mesquinhas.

By: AyKe.Hanedef.

9.10.10

Moda


Como não ser e viver por ela?
Como não gostar, como odiar, se a moda é bela?
Usar e abusar das cores, do instinto que dita.
Ser e observar os empecilhos. Ela é maldita.
Usar um Armani ou Macqueen. Tudo é beleza.
Possuir postura, brilho, encanto e personalidade.
E se matar pelo algo que não suporta vira proeza.
E viver com muitas cores, com muito preto, trás inimizade.
Só por que é homem, não se veste de moda.
Só por que é algo estranho, não dá nem corda.
Você não e nunca nasceu para a moda. Ela nasceu para você.
A perfeição não existe. A beleza é espiritual.
A moda divide, e mais, é a personificação do mau.
Viver de sua forma, ou impor a sua forma?
A moda é algo divino, que nos deforma.
Somos algo indecente, e acertamos no azul para a estação.
Com o bizarro, nós alcançamos a tendência do verão.
O tecido, a costura. Malhas. Tudo é perfeito.
O cabelo, a postura, a silhueta sem defeito.
É a moda. É liberdade, é seguir padrões.
É ser odiado, ser aclamado, viramos vilões.
O corte reto para direcionar ao acabamento final.
A dose de Yin/Yang, a dose mortal.
O gosto popular, o gosto exagerado.
O gosto esquecido, o amor desengonçado.
A paixão eterna pelo gosto de vestir-se.
Os lucros, a maldade, a padronização. Tudo tolice.
Com convicção e com estilo, raiemos beleza.
Com status, poder e um bom terno, ganhamos nobreza.
A moda é minha, sua, a moda é amor.
Usar, possuir, ter, omitir, orgulhar, sentir dor.
E ser influência é usar o anormal,
A moda soma, multiplica. Genérica para refletir.
E nos usam, e reinventam, tudo para persuadir.
É tudo muito passageiro. A moda vai e vem.
É tudo muito psicodélico. Na verdade ela é do bem.
A moda é um demônio viciante.
Os ternos, as gravatas. É muito empolgante.
Não se aceitar. Mas você se veste mal.
Chorar e mudar, saber escandalizar. É muito legal.
Tentar terminar algo do real.
Saber possuir, matar e destruir. É o sinal.
Dinheiro é tudo, com a moda é excelente.
Somos maquiados a um diário enlouquente.
Mas todos nós apenas esperamos por motivos.
E se identificamos, e se vangloriamos, ficamos comovidos.
Buscamos pelo novo, buscamos idéias.
Mas somos comuns. Dividimos gostos e misérias.
Essa pandemia é muito acolhedora.
Temos nossas vidas e mentimos numa boa.
Porque a moda disfarça e se multiplica.
Porque moda impõe, porque moda fabrica.

By: AyKe.Hanedef.

3.10.10

A Criança do Meu Começo


Não se via paz em seus olhos,
Não se via quietude, não se via tranquilidade,
Mas era um olhar inocente e sem pecado.
Sem um destino, sem um objetivo concreto.
Apenas era livre e feliz. Fazia o que queria sem ouvir opiniões alheias.
A criança cresceu e somente a 2ª frase ainda convém ao seu mundo.
Busca um futuro, vive no presente, esquece seu passado.
A criança não morreu, apenas está esquecida em uma das tantas esquinas.
Das esquinas já passadas, já seguidas, já vividas.
Mas ela está lá. Viver com situações e problemas a impede de sair de lá.
Todos nós somos o que nos impõem. As vezes possuímos projeções.
Nós nos perguntamos demais antes de fazer algo.
Nós não aceitamos a contrariedade em nossa vida. O contrário não é inutilidade.
Mas há lugares, há momentos, que se ficção em nossa memória.
Somos tão honestos a nosso respeito?. Não, e nem precisamos.
Mas tudo é feito sem pressa. Tudo pode parar em determinados momentos.
São as meras crianças dos nossos começos, que nos mostram a verdadeira felicidade.
Ela não é uma simples felicidade. É a melhor de todas as felicidades.
E com uns ela apenas não existe. Mas ainda há felicidade.
Mas o belo trás felicidade, mas o que eu quiser me trará ela.
Eu sou livre em mente, mas preso em corpo e coração.
Mas tudo o que eu vivi, não se apaga não se esquece.
E nossos gostos são incomuns, e nossas vidas tão diferentes.
Damos diversas voltas para chegar justamente no começo.
As boas companhias, as boas brincadeiras, tudo era inocência.
Agora tentamos achar que tudo é bom. Temos que ter paciência.
O tudo que era bom não acabou. Ou pensamos assim.
Possuímos problemas e buscamos soluções. Temos mais que dizer sim.
Sim para o que nós queremos. Não o sim a pequenos seres.
Pequenos seres de meras opiniões.
São loucuras que nos movem, que deixa-nos um pouco felizes.
Quem sabe um pouco anormais. Mas felizes.
Agora as brincadeiras são outras. Mas a felicidade pode ser a mesma.
A inocência e a ingenuidade transpasaram. Agora é a experiência que vale.
O jogo é outro. As pessoas são as mesmas. Mas a rotina mudou.
O meu tudo da infância, se transformou.
O meu começo é a cada dia. A cada instante. A cada segundo.
A brincadeira de criança, agora são metas atingíveis. O novo momento, o novo mundo.

By: AyKe.Hanedef.