29.4.11

J&V

Amava você mesmo sem saber,
Que você era perfeita, 
Que era minha doidinha,
Minha doidinha perfeita.
Meu anjo gótico e senhora da minha vida.
Posso deixar você me escapar?.
Seus cabelos negros sobre meu ombro.
Sua face que me dizia o que pensava não ser real.
E em questão de segundos minha vida valeu a pena.
Pois o que apenas sonhava parecia tão único.
Tão único por ser aquele momento perfeito.
E o que pensava que não existia,
Apenas tocou meu ombro,
E meu coração.
Como se enganar,
Isso é amor.
O amor entre dois loucos é que prevaleceu.
Em meio a tantos olhares e interrogações.
Mas eu te amo.
E se bastassem os mil sinais que diziam,
E tudo quanto pensei que só ficaria.
Mas o beijo selou duas vergonhas,
Dois loucos, dois felizes e apaixonados.
Gosto de você, mas também a amo.
Amo seu cheiro, seus cabelos, amo você.
E se acabar meu mundo que seja do seu lado.
E se chorar que seja de saudade sua.
E se rir que seja com você. 
E se viver que seja do seu lado.
Tudo tão infantil, mas tão verdadeiro,
Não preciso de enigmas, não preciso de sarcasmo,
Preciso apenas dizer que te amo.
Que sofro por esse sentimento doentio,
Que amo a minha pessoa perfeita,
Que amo tudo nela.
E que se for aprender que seja com ela,
Que se for pra amar que seja ela,
Que se for pra abraçar e beijar que sempre ela.
A moça dos lábios doces,
A majestade da minha vida.
Te amo. Não quero te perder.
E só e não apenas te amo.
Quero sonhar com você todos os dias,
Pensar em você todos os segundos,
E te amar eternamente.
E tantas palavras não são necessárias.
Eu te amo.
Quero você minha Joy...          

S2

By: Vinicius André.

15.4.11

Monstro.

Ele vêem, e isso já foi avisado.
Ele é vampiro e vêem.
Quem é este monstro?.
O que esconde por trás de boas intenções?.
Como ele pensa?.
Por si mesmo?. Por outros?.
Quão misterioso é você?.
Eu sei que vão nos fazer amar.
Todos devem amar.
Todos devem esquecer as palavras usadas.
As palavras mortas pelo qual clamam.
Por palavras que não mudam vidas,
Por palavras que renovam vidas,
Vidas de almas para o mau,
E almas do mau.
Mas o mau foi inventado.
Assim nunca comprovado.
Proteja-se dos homens e não do demônio.
Sua vida nunca estará morta,
Isso enquanto governarem sua mente.
Que nunca poderá ser sua.
Pois entre milhões nasce apenas um.
Entre trevas de pensamento, um iluminado.
Um iluminado de luz e conhecimento.
Um iluminado de pureza, do bem da renovação.
E apenas escrituras não bastarão.
Um exército é formado.
Uma batalha é prevista.
Tudo terá seu fim. Tudo terá sua era.
E a mesma paixão da batalha,
Trazerá a tona os verdadeiros traidores,
Os verdadeiros e perigosos demônios,
Os manipuladores e seus manipulados.
Os que não desistem e lutam.
E o rei será coroado.
E o mundo desfrutará da paz que rege o universo.
Da paz de Deus.
Pois tudo é apocalíptico.
Tudo é de puro bom gosto.
De ossadas enterradas num fundo de quintal.
De uma vida cheia de milagres divinos.
De transmutação de agua em vinho.
De sarcasmo em nojo.
Pois o mundo pede por verdades,
E que não sejam caladas e sim ditas.
Pois o amor deve permanecer.
E nunca mais será cobrado pecado.
E as vidas dos programados serão destruídas.
E o Éden reinará por todo sempre.
Espreite suas fronteiras,
Feche suas janelas,
Mate seus filhos.
Mate seus vizinhos.
Tudo é usado.
Tudo é ultrapassado.
Tudo. Absolutamente tudo.
Assim é que deve ser. Assim será.
Nada de extraordinário.
O amor do pecado e do homem.
A visão que não cega mais escurece.
A audição que ouve mas prefere o silencio.
O corpo que clama por prazeres,
Dos quais são e não serão obscenos.
Pois tudo é nojento.
A raça humana é nojenta.
A disputa humana é nojenta.
Tudo é nojento, e não sou a exceção.
Ou ir ou ficar.
Ou lutar ou padecer.
Ou ser ou não ser.
Ou ter ou não ter.
Ou amor ao sétimo momento, ou ao quinto prazer.
Besteiras inventadas,
Verdades desmascaradas, e ouvidas na cara.
Na cara dos que queimam,
Na cara dos que mentem,
Na cara dos que manipulam,
Na cara dos que estupram,
Que manifestam seu poder sobre mentira.
Que manifestam seu controle mental sobre mentiras.
Que não podem ser explícitos nos atos,
E preferem a escuridão dos fatos,
A iluminação do mundo.
Cansei de obedecer os padrões normais.
Desisto. Cansei de provar que tudo é errado.
Escolhas nunca serão perfeitas.
E união faz a força.

By: AyKe.Hanedef.

8.4.11

A Carne Da Sexta

Este é o rumo que tomamos.
A carne da sexta feira.
Este é o rumo que deixamos acontecer,
Por cobiça de uns,
Por desprezo de outros.
Por união de uns,
Por ignorância de outros.
Somos a carne da sexta feira.
Somos nove, depois onze.
Nunca o dez.
Por que não o dez?.
Tudo tão na cara, e achamos que não.
Tudo planejado em um jogo de matemática.
Tudo pensado em um jogo de frases.
Que não fazem sentido mas são o que são.
A carne podre está se tornando boa.
O veneno das palavras presas no sub-consciente.
Mas tudo isso é bom.
Mas quando explodir ficará melhor ainda.
O templo do norte que indica o fim.
O sonho do irreal, mas não impossível.
A votação sem empate, e a eleição de um único poder.
Tudo com apenas uns 20 mil a mais.
Ou a menos.
E com o fim da espera, a carne vira da sexta.
Não da quinta ou sábado.
Sexta de sexto, sexta do santo.
E somos chipados e programados.
A terra é dominada pelas carnes de sexta.
E no fim eu sou poupado. Mas manipulado.
Pois todos são. E todos são.
O cão que não pode.
O gato que garante o resquício do não.
E não seremos esquecidos.
Apenas seremos a carne da sexta.
Pois o que é proibido é mais saboroso,
Assim como a carne da sexta, na quaresma.

By; AyKe.Hanedef.

Manifesto à Liberdade

Quebrando as barreiras do passado,
Libertando quiçá a salvação.
Destruindo o significado pecado.
Partindo ao novo momento e direção.
Prestes a acabar e explodir tudo.
Prestes a cegar a massa e o mundo.
Preces e orações não ouvidas.
Lamentos e desespero para as pessoas oprimidas.
No auto do cavalo branco eis que surge a salvação,
Para libertar o povo do Egito, para a doação.
Grita-se por liberdade.
Grita-se pelo fim da castidade.
E o apelo que surge é forte.
E o desprezo destrói aos montes.
Pois a história possui seus séculos de terror.
Pois a história agora tem o "q" a mais de clamor.
É mais honesta para si mesma.
É mais honesta para si mesma.
A duplicação que diz mente minha não.
Desobediência e sete palmos do chão.
Ordens?. Sim desordens.
Desordens?. Não ordens.
Jogo de palhaços infantis.
Jogo de palhaços de vermelho nariz.
O Halloween do viver.
A massa sem forma que irá perder.
Os sinos avisam o acontecimento.
A lua encoberta de sangue e conhecimento.
A luta do final?. Não.
A luz é forte. A lua um clarão.
E quem está certo?.
Mas o que é correto?.
Diga sim a sua liberdade.
A sua escolha de personalidade.
Ao seu modo, sem reclamar.
Aos seus versinhos que adora declamar.
 Pedindo por favores dos quais não consegue.
Pois eu digo: "vê se procede".
Você?. Quem é você?. A massa?.
Não se preocupe com molho tudo passa.
Pois este é seu dever de normal e bom.
Pois isto é o que eu ouso do som.
Descubra a liberdade.
Diga sim a sua sociedade.
A nossa sociedade corrupta.
Da sociedade sem verdades absolutas.
Pois o mundo é mentiroso.
Pois o que vivemos é doloroso.
É impiedoso.
Manifeste sua liberdade.
Grite sim.
Viva no sim.
Diga sim. Você pode dizer sim?.
Seja feliz e diga o que quiser dizer.
Se for sim, aproveite sua liberdade.
Seja o mais honesto possível,
Para consigo mesmo e as pessoas.
Abra a jaula e saia do lado do leão,
Que o acompanha.
Seja livre.

By: AyKe.Hanedef.

7.4.11

O Outro Que Não Eu

A inspiração de palavras alheias que cheira a sangue novo,
A verdade encabeçada, triturada e esmagada.
O prazer em tudo que não presta.
A impureza da faceta que domina.
O medo da faceta que domina.
O cultivo do oculto sem nada.
O silêncio das vozes internas.
A luz que se converte em outro.
Outro sendo o mesmo.
Outro sendo programado sem hesitação.
Outro que aguenta a vida.
Outro. Quem sabe apenas um outro.
Parecido com o duplo.
Mas agora é uno.
E acabou a fase de espanto.
Acabou a fase de sufoco.
Por aqui agora quem manda é outro.
Esse outro que possui nome.
Esse outro que matou o outro.
Agora é uno. Agora é uno.
Sem meias palavras, mas nunca exato.
Sem máscaras, mas sem personalidade.
Os três vértices da geometria. 
As três faces da agonia.
Do trauma mais que profano.
Da realização do que é insano.
E um órgão que é dois.
Está no centro mas e depois?.
Depois ele é outro. Depois ele é outro.
Chora e ri ao mesmo tempo.
Ri e chora.
Programado pro contento, 
Designado e traspassado sem talento.
Fabricado, sem pecado só alento.
Mas a sociedade corrói até o osso.
Te ignora, te controla, quer seu pescoço.
Quem é você e o que me fez?.
Tudo quieto e no seu lugar.
O melhor é dominante.
O pior é fracassado.
Assim não existem escolhas,
Apenas dominância ou fracasso.
Ser o forte, e querer ser forte.
Ser o dominante, e querer ser dominado.
Enquanto grita, geme e rodopia no ar.
Enquanto cheira e sente pois deve lutar.
E querer ser um mago,
Para poder não voltar.
Para ser o que não é. Quem um dia será.
Para ser o que quiser. O fracasso dominará?.
E com cinco linhas do fim, voltou a ser o fracasso.
E tudo que menospreza não é mais verdadeiro.
E agora tudo é uma grande besteira.
Baseada em alguém que é outro.
E esse outro que dominará.

By: AyKe.Hanedef./ Vinicius André.

3.4.11

O Duplo

Quando desperto, e se desperto,
Nunca sei se sou realmente eu.
Meus olhos se enchem de areia.
Meus pés tocam a beira de um abismo.
Meu coração palpita para a morte:
Mais um dia amenos de vida.
Eu ando sozinho, como uma história sombria.
Um século de Idade Morta.
Eu minto que flutuo,
Eu minto que piso em algodão,
Onde na verdade o que me resta,
São espinhos e um coração meio humano.
Dormir para sonhar com o obvio.
Este pode ser um bom ponto de fuga.
E trago a fumaça intoxicante,
E faço de minha vida um funeral.
Cansado de andar sozinho.
Não entendo mais o meu nada.
O nada não é mais o suficiente.
A voz tenta falar mas é sufocada.
É oprimida pelas máscaras interiores.
Pelos duplos ou triplos pensamentos.
Pela programação que não tem fim.
Pelo lado mau que não para.
Pelo lado bom que não para.
Por mim que sou qualquer coisa menos "mim".
E antes que pare de respirar por mim mesmo,
Digo meus nomes pro vento.
Solicito seus bons conselhos mentirosos.
E viro a próxima vítima do sobrenatural.
Tomo o veneno, a porção pequena do mau.
Conquisto meus méritos e viro um infectado.
Viro o 2 e não o "mim".
Peço o beijo negro da ceifeira.
Peço o abraço frio do vento maldito.
E o pânico do sem controle.
Fecho os olhos e me vejo no mesmo lugar.
E meus sonhos ficam para o amanhã.
Sou o procurado.
E agora não mais encontrado.
Sou o "mim" calado.
Sou o 2 e não o mim.
E a dupla fase chegou no fim.
pois tudo acaba assim.
Mas tudo bem. isso é bom.
Então não desperto.
O "mim" morreu e o 2 é o fim.

By: AyKe.Hanedef.

2.4.11

Palavras Sob Controle

O senhor fanático fantoche,
Que domina sua mente e você,
É assim que fazem. O que faço agora?.
Controle seus instintos, sua mente pervertiddaaa,
Mente de mente e mentira. Você que acredite,
Em algo e em você.
Você não pode, mas pode,
Ser aquilo tudo.
Diga ao mundo bem isso,
A você diga isto. Desconfie de mim.
Veja a glória Deus améeemmm.
Mim é o universo finito, e o infinitooooo,
Tudo é tudo, apenas. Mas quem ser o eu?
Sou o tudo.
Você também o é,
O melhor do tudo.
Diga como consegue abrir os olhos pro sim,
A algo que não existe em você,
Mesmo em mim e no universo. Reflita e pense,
Em algo que não em mim,
E em você.
Acredite no sim e no universo, deste verso.
Viva seu sim
Você não pode dizer não, pois nasceu,
Desse mesmo e sempre mesmo modo.
Tudo muito espetacular pro nada,
Nada muito espetacular pro tudo.
Controle sua vida e sua saúde mental.
So öffnen Sie Ihre Augen,
Pour une vie qui n'est pas son,
Abra sua cabeça llena de mariposas.
Η καλύτερη επιδιώξει.
O pior fracassar.
Palavras sob meu controle.
Palavras sob meu olhar.
Palavras feitas por clones,
Palavras para ajudar.
Ajudar a tecer a mortalha,
Do ignorante da razão.
Palavras para acabar com as migalhas.
Palavras que ficaram com o pão.
Tantas línguas para um significado.
Tantas palavras para algo gritante.
Tanta influência de fora.
Tantos olhares insignificantes.
Τέλος.نهاية.
Isto é o fim.

By: AyKe.Hanedef.