29.1.12

Enganação

Feito em 21 e 22 de Dezembro de 2011...
Eu não sou tudo aquilo,
Eu não posso ser o tudo.
Eu nunca fui tudo aquilo,
Tão repleto de valor.
Quem sabe não nasci para a mudança,
Ou para fabricar corações.
Quem sabe já perdi minhas esperança,
De fazer algo perfeito, de poder criar,
Algo reluzente como o ouro,
Algo tão azul quanto o mar.
Já tentei enganar a mim mesmo,
Escrever não me leva a nada.
Já tentei projetar direito,
A arquitetura me cega e me amarga.
Mas quando presencio o meu fim,
Eu sei que posso recomeçar do nada.
Já compactuei com o meu mau,
Já compactuei comigo mesmo.
Já sei o que eu fiz,
Já sei tudo que foi desfeito.
Cansei de pedir tantas coisas,
Cansei de agradecer pelo que tenho.
Planejei tudo na minha cabeça,
E o farei mesmo ganhando ou perdendo.
Quem sabe ainda pense tão pouco,
Em tudo que já fiz,
Mas por que pensar no feito,
Se posso cada vez fazer mais?
Quem tem inspiração usa o coração,
Quem não tem insiste em culpar o mundo,
Por fazer usa-lo tanto a razão.
Não esperarei pelo tormento eterno.
Quem sabe não seja o tudo. Mas faço a minha parte.

By: AyKe.HeineDef.

28.1.12

Bumba Do Lém

Feito em 10 de Dezembro de 2011...

Dance mesmo que no escuro.
Levante suas mãos, liberte-se!
Levante do chão que faz você criar raízes,
Voe com suas assas sobre a multidão de nada.
Você não pode apenas esperar sentado.
O melhor da vida lhe acompanha.
O pior da vida lhe resguarda.
Quem sabe o que fazemos diante do espelho?
O que podemos dizer sobre nós mesmos?
Mesmo assim ainda nos condenam.
Mesmo assim ainda nos julgam.
Abra seus pulsos, por impulso mortal.
Abra suas assas por impulso sem mau.
Quem ri agora não é palhaço,
Que apenas faz palhaça.
Meu cabelo tem algum problema?
E daí, ele é meu!
Bumba Do Lém levanta o céu,
Tropeça no nada e não faz sentido.
Mas quem falou que deveria fazer?
Que maravilha de ação se faz sem escolhas?
Quem diria que alguém poderia pensar?
Espelhos quebrados, má sorte na vida.
Escadas da obra do divino.
Se dançar não dance só.
Crie alguém imaginário na cabeça.
Bumba do Lém é do tudo e do ninguém.
Quem sabe quantos ainda riem pelas suas costas?
Não preciso compreender o universo.
Também não peço por compreensão.
Quem levanta pelas manhãs disposto,
A ver as mesmas caras de sempre,
Isso tudo é difícil, mas não complicado.
Dance nas quedas, dance com o mundo,
Levante do chão e não chore,
Ninguém dará a mão sem alguma intenção.
Cabeça vazia morada do mau.
Do mal do negativismo e pessimismo.
Vingança escrava da perdição.
Dance para a lua, para o fim e os começos.
Dance para você mesmo,
Ou para alguém imaginário.
Bumba Do Lém, não é nada além de palavras.
Bumba de boi,
Do Lém do além.
Ninguém precisa saber das verdades para acreditar na fé.
Fé se tem ou não.
Fé não se prega e não se fabrica na reza.
Posso ser o louco agora,
Mas nunca poderei ser alguém normal como você.
Admita: você não sabe,
Aceitar com o coração.
Aprendeu a ver com seus olhos.
Aprendeu a ter fé na reza.
Aprendeu a não ver os detalhes.
Seria tão fácil dizer na cara,
Onde é exposta a corrupção.
Seria tão fácil dançar no mistério,
No sinal de interrogação.
Não desista após tantos contras.
Não se abandone na mesmice.
Mesmice é a vida de merda,
Dos não pensantes e pouco humanos.
Homem que é homem dança no nada,
Ou em cima de tudo,
Que lhe impede de conquistar,
De trair ou trapacear,
De tirar vantagem onde não tem.
Bumba Do Lém,
Se você não atirar não mata ninguém.
Bumba Do Lém,
Se você é cego, existem os que vêm.
Bumba Do Lém,
Palavras novas complicam.
Palavras novas causam frustração.
Palavras novas comovem,
Rebatam-nos pro chão.
O mundo pode ser belo,
Abra os olhos cheios de areia e olhe!

By: AyKe.Heinedef.

27.1.12

A Valsa Dos Condenados

Feito em 21 de Dezembro de 2011...
Um passo à direita, um passo à esquerda.
Um coração sujo, uma imensa carga de pecados.
Essa é a valsa tão santa,
Essa é a valsa dos condenados.
Se seus olhos queimam à Terra,
Se seus pés desobedecem,
Se seu cabelo muda de cor,
Se os melhores já padecem,
Um passo à direita, um passo à esquerda,
Um coração sujo, uma imensa carga de pecados.
Essa é a valsa tão santa,
Essa é a valsa dos condenados.
Uma perca de razão,
Uma perca de cabeça,
Uma perca da comoção,
Uma vida tão avessa,
Um pecado lhe consome,
Uma luz lhe queima a cara,
Um olhar que lhe apavora,
Uma cruz e uma mortalha.
Um Jesus. Um sentimento.
Ele é santo. Somos os condenados.
Uma luz. Um esquecimento.
Ela é santa. Somos os condenados.
Mais um passo à direita,
Seu buraco é vazio e profundo,
Mais um passo à esquerda,
Seu mundo não é mais mundo.
Um coração sujo, um coração sem paz.
Uma imensa cruz de pecados, onde o espirito jaz,
Essa é a valsa dos condenados,
A valsa tão santa, a valsa da fé.
Se puder me ver queimando,
Se puder me dar sua mão,
Estarei aqui orando,
Pedindo à Deus por compaixão.
Essa é a valsa dos condenados,
A valsa dos que não vão,
E que ficam no escuro te observando.
Feliz ilusão da verdade!
Feliz desejo da mentira!
Feliz progresso do inferno!
Feliz cabeça iludida!
Um passo à direita, um passo à esquerda,
Um coração sujo, uma imensa carga de pecados.
Essa é a valsa tão santa,
Essa é a valsa dos condenados.

By: AyKe.HeineDef.

23.1.12

Ajude-Me

Feito em 11 de Dezembro de 2011...

Mundo mágico, mundo secreto,
Do sol chamado, do sol do verão,
Pessoa maldita que tem o cajado,
Das portas secretas do coração.
Um dia feliz começa na cama,
Terminha no espaço,
Disposto no ar.
Um dia feliz começa no passado,
Terminha no espaço,
Disposto a acabar.
Quem sabe não precise de ajuda,
Quem sabe precise de um coração.
Quem sabe precise que me ajude,
A ser alguém um pouco normal.
Ao menos não padeço do mau.
Da mortal lembrança de viver,
Da mortal lembrança de esquecer.
Todos os rostos dentre de mim,
Tentando ser-me. Tentando me ser.
Todos os rostos dentro de mim,
Tentando vencer. Tentando vencer.
Quem sabe não possa,
Mais viver dessa forma,
E precise dormir, precise ir embora.
Quem sabe não possa,
Controlar o que penso,
E me entregue ao sacrifício de fazer.
De se criar e fazer ser.
Aceite uma verdade usada,
Você não faz mais nada,
Você copia tudo que vê.
Ajude-me por que posso padecer,
Posso entregar-me sem volta,
Posso perder meu coração.
Posso deixar-me levar pela revolta.
Posso pedir ajuda sem razão.

By: AyKe.Heinedef.

22.1.12

Não Me Diga

Feito em 10 de Dezembro de 2011...

Não me diga apenas que a vida é bela,
Não me diga apenas que fracassou,
Depois não diga que tudo não valeu à pena,
Não me diga que a pressão o matou.
Humor do fracasso. Sem pedaços para pensar.
Arquivo morto entre os rascunhos,
Postos a limpo para não suspeitar.
A vida pode ser bela. Coloque ordem com os punhos.
Decisões vazias de memórias,
Alegria com compaixão inexistente,
Um programa nuclear me acompanha,
Melhor usar a cabeça e ser prudente.
Se me mandarem dançar eu danço,
Se puserem em mim coordenação.
Se me humilharem eu levanto,
Posso ver a sua fé e devoção.
A tantos passos do escuro,
Que nas curvas ninguém pensa.
A tantos burros olhando de canto,
Que a cortina é do mundo e densa.
Ferro. Puro ferro e cor.
Ferro. Puro ferro e dor.
Ferro. Puro ferro eu quero.
Ferro. Puro ferro eu sou.
Não me basto do silêncio da lua.
Não me basto do olhar condenado.
Não me diga que isso é um problema.
Não me diga que é um mal amado.
Besteiras, pragas, lágrimas falsas da madrugada.
O sol pode brilhar pela lua hoje.
Momentos, realidades, facetas mágicas da estrada.
Fui enganado. Como você pôde?
Uma criança se acha robô por diversão.
Um perdido se acha robô por alegria.
Um vagabundo é robô pelos resultados.
Um vivente é robô por sabedoria.
Agora não me diga que sempre viveu.
Grandes problemas sem grandes revoluções.
Agora não me diga que nunca aprendeu.
Grandes desejos sem grandes contestações.
Se puder ser feliz na miséria.
Se puder ser feliz no inferno.
Com meus dois olhos ou um olho só.
Miséria. Esse pode ser o meu fim.

By: AyKe.Heinedef.

21.1.12

Eu Serei Seu

Feito em 21 de Dezembro de 2011...
Eu serei seu durante o verão e o inverno,
Eu serei seu enquanto você se desespera no parto,
Eu serei seu na sala de espera,
Eu serei seu por me fazer ser tão exato.
Eu serei seu por dividir comigo a noite,
Por me iludir para o caminho do sol,
Por fazer com que me fruste com pouco,
Por fazer com que eu lute em prol.
Desperta em mim os teus desejos,
Fazei de mim e por mim o que não posso.
Desperta em mim objetivos,
Fazei por mim e de mim o que não sou.
Eu serei seu durante todo o tempo,
Enquanto grito de dor ou de agonia gemo,
Eu serei seu no por do sol,
Serei seu pela manhã de chuva ou no sereno,
Serei seu por ser apenas,
Mais um modesto usado selo.
Mais que seu eu não serei.
Eu farei por você o não feito.
Se o mundo acabar eu não danço,
Eu serei seu, meu querido pirilampo.

By: AyKe.HeineDef.

20.1.12

Vertigem Psicodélica

Feito em 15 de Dezembro de 2011...
Acorda pela manhã com suas patas de caranguejo.
Veste-se com uns dos raios do sol.
Faz cortesia ao seu café preto.
Abre os olhos e ela aparece.
A vertigem psicodélica,
A vertigem de Marte.
Ele abraça o seu ideal,
E vai a luta nessa guerra.
Vai a luta e não desiste.
Vai a luta e vira fera.
As minas que explodem onde,
Jaz tantas cabeças vazias de nada.
Os povos que batalham na agonia de um inferno,
É verão não é inverno,
Mas é eterno, mas é eterno.
Se Deus ao menos os livra-se do fogo,
Da guerra entre o tudo e o todo.
Sua vertigem ainda o mata, louco,
Se sobrarem dois terços mortos, você ainda acha pouco?
É paz na era,
É paz na guerra,
É mover os traseiros em direção ao sol.
É paz na Terra,
É paz na guerra,
É mover as mãos juntas que só pensam em rezar.
Ele acorda, a vertigem é forte,
Mas ele é mais, não morre tão logo.
Quem sabe resista, quem sabe defenda.
Mas se não tiver sua ajuda,
Desculpe-me não se ofenda.
Se Cristo é a paz,
E a guerra é do Diabo.
Se eu rezar eu vou ao céu,
Se não rezar eu me acabo.
Medieval conveniência,
A guerra é do homem.
A guerra é feito por homens,
Termina e começa por homens,
E não por falta de fé.
Acorda atrasado!
Acorda pra vida!
Vertigem maluca, ainda me mata.
Vertigem psicodélica. Vertigem má.
Ele levanta do chão,
Arruma sua roupa de sol,
E sai para trabalhar por mais quatro horas,
É a batalha da vida,
Espécie vil e remediada, acomodada,
Não sabe guerrear.

By: AyKe.HeineDef

19.1.12

Áurea Negra

Feito em 10 de Dezembro de 2011...
Sim. É isso que eu posso.
Sim. É isso que escolhi.
Não separam as ovelhas por cores?
Já cansei de tanto repetir.
Sim. Já não sei onde ando.
Sim. Já cansei de fingir.
Se o mundo me ignora santo,
Eu sou capaz de fazer tudo explodir.
Se alguém me disser que vivo,
Desolado da multidão,
Não vive 30 minutos do que eu vivo,
Trancafiado em escuridão.
Já cansei das pessoas.
Cansei daquela maneira de julgar.
Cansei dos sorrisos baratos.
Cansei de tanto encenar.
Quem sabe minha raiva aumente,
Pelo tempo perdido na fé.
Quem sabe eu veja estrelas,
Quem sabe me mate de pé.
Cansei daquilo que me sufoca.
Cansei da perseguição do mundo.
Cansei de ser considerado uma revolta,
Eu ouço tudo, eu não sou surdo.
As pessoas que eu não suporto,
O lugar que me estressa,
Os olhares todos tortos,
A amargura dessa festa.
A não ida me desola. Não perco o meu chão.
Quem sabe perdi meu tempo,
Tentando me engrandecer,
Mas sei que esse é o momento,
De com as escolhas, eu crescer.
Pois bem por hoje eu suporto.
Amanhã já não aguentarei.
Cansei de ser um peso morto,
Quem sabe me torne um dia rei.
Palavras soltas no ar,
Em ruas cruzadas de ódio.
Palavras verdadeiras do ar,
Que assim seja já não me importo.
Quem diria que você seria,
Separado do rebanho.
Quando puder queimo o mundo,
Não tenho mais nada a perder,
Não suporto todos os trouxas,
Que precisam aprender,
Minha vida é esperança,
É orgulho da geração,
Sou alguém que traz a mudança,
Que usa a mente e não o coração.
Não sinta minha falta,
Não sinta nada por mim.
Isso me avisa sempre,
Que se não fizer nada, quando for o fim,
Acabarei enterrado sem nome,
Sem nada em biografia.
Não faço nada por você,
Essa é minha filosofia.
Cansei de acreditar nas pessoas,
Pensando que elas podem mudar,
Cansei de acreditar na vida,
Minhas esperanças irão acabar.
Hoje me refiz após o tombo,
Amanhã é viver e lutar.
Dia triste. Noite estranha. Acabei de viver um desgosto.

By: AyKe.HeineDef.

16.1.12

Mundo Incolor De Um Cristão

Devoto é aquele que é feliz,
Por seu santuário divino,
Por seu coração de um filho,
Da natureza do inicio do nada.
Feliz de quem faz bom uso,
Do corpo com a mentira do desuso.

Impuro quem faz nada no nada,
Impuro o sangue da fonte.
Impuro é aquele que mente,
Que faz da desgraça o que sente.
Meu sangue é doce e puro,
Meu sangue é novo e jovem.
Dooo Dooo Dooo Doce.
La Le La li La lua.
É doce é doddo.
É lá sem fá, com mi e ré.
Dooo Dooo Dooo Doce.
É puro é novo é lalilua.

Eu posso ser bom,
Vestindo-me normal, para lhe alegrar.
Eu posso ser mau,
Vestindo-me anormal, para lhe desdenhar.
Não quero ser mau,
Mas se você me quiser eu posso tentar.
Nada melhor que viver feliz,
No divino, alguém que lê tudo isso.
Eu acho legal,
Mas tenho um mal,
Não posso perder.
Melhor se cuidar, eu não irei sofrer.

Não digo estar errado,
Também não digo estar correto.
A certeza é egoísta,
A certeza não é a fé.
Se disser que sempre estive errado,
Não estarei tão certo de tudo isso.
Um doooo de doce, amargura da fé,
Alguém que perturba,
Alguém sem limites.
Não posso parar é tão doooooce,
Dooooceee,
Se você me quiser não sei o que fazer.

Não peço que me siga e nem que me condene,
Não peço que me aceite, ou que me desdenhe.
Alguém ainda pode carregar a minha cruz?
Se você achar pouco tudo que tenho,
Tudo que sou, ou tudo que faço,
Saiba que por tão pouco não dou nenhum passo.
Bendita é Maria,
O ouro dos trouxas,
Que cega um dos olhos,
Esperando sua comoção.
Não seja um trouxa,
Quem mente nunca pode dizer a verdade.

Siga-me sobre o arco-íris,
Bendito pode ser o sol,
Se um Papa ordena não duvide,
Que ele luta apenas em prol,
Da questão que lhe agrada,
Sem um gosto de fé tão santo.

Eu preciso aquilo tudo,
Que sempre é considerado o mais.
Eu preciso de uma guerra,
Eu preciso de sua paz.
Não querem apenas um pouco,
Querem tudo que você faz.

Isso são apenas negócios.
Isso não se trata de você.
Serão apenas meus negócios,
Enquanto alguém não puder ver.
Os negócios da vida fortuna,
Os negócios da vida mistério.
Apenas sair bebendo sem rumo,
Conquistando o sexo e a liberdade,
Sair pelos recantos profundos,
Buscando a miséria e a maldade.
Dos recantos do incolor abismo,
Para o mundo incolor de um cristão.

Você então é o ungido,
Eu apenas mais um idiota,
Você então é o protegido,
Da vida que sempre lhe mostra,
Às vezes pecamos querendo,
Outras vezes é que querem por nós pecar.
Posso não ser tão querido.
Posso não ser atraente.
Posso estar desprotegido,
Posso estar sem mostrar os dentes.
Se você me quiser não faça rodeios,
A arte é para poucos. A arte é um devaneio.

Vamos dar as mãos para rezar,
Vamos fazer o sinal da cruz nessa capela,
Vamos profetizar os evangelhos,
Vamos exorcizar todas as velhas.
Que no nome do bendito,
Queime ele Jeová.
Se você quiser a mim,
Não faça cerimônias tão entediantes,
Fale comigo no escuro,
Abra apenas um sorriso.
Se o fraco não pode comigo,
O forte é apenas um obstáculo amigo.

Vamos queimar essa capela,
Vamos rezar juntos no verão e no sol,
Vamos guerrear contra a mentira,
Vamos conhecer a Deus nessa capela.
Oremos em nome de alguém.
Quando oremos em nosso nome?
Meu coração já foi roubado,
Um intestino me falta, que seja o delgado.
Meu coração não pode ser justo,
Meu coração não pode ser nobre,
Desculpe minha falta de informação,
Desculpe se eu sou esnobe.

Venha até a mim perto da esquina,
Mova seus pés não faça drama menina,
O lugar mais seguro será sempre o seu peito.
O lugar mais seguro será o caixão,
Não fique ai parado,
Cave mais fundo nesse chão.
Venha me encontrar no mundo dos mortos,
Venha me ver no céu com os anjos,
Venha me alimentar com o seu fogo,
Venha destruir aquilo que seja um cadáver.
Venha com medo, e não perca a esperança.
A luz sempre foi média. A luz me encanta.

Na capela amarela do riacho azul,
Na capela tão bela, da pedra do sul,
Se o perdão é meu amigo,
Não posso mais não perdoar.
Abra o meu coração, perdoa a todos que me amar.
Se não me amar apenas sufoco. Deus é amor.
O que você esconde entre quatro paredes?
Você faz algo que Jesus não vai gostar.
Vá a um padre e confesse os seus pecados,
Vá antes que alguém comece a chorar.
Corra não perca à hora da misericórdia,
Hoje é dia do salvador. Perdão senhor, perdão senhor.

Estive pensando na vida,
E onde você esteve a chorar?
Jogado na sorte no mundo,
Sem uma boca para reclamar?
O que queima em seu peito é a inveja,
O que queima em sua alma é a perdição.
São nos melhores lugares que se fabricam,
As melhores pessoas que não param de lutar.
São naqueles bares de boates,
Que as pessoas aprendem a não vacilar.
Em uma capela acendem uma vela,
Apenas isso, e não vão mais nem rezar.

Junte suas mãos e olhe a beleza,
Aprenda a rezar e pare com o resmungo,
Junte suas mãos e olhe a beleza,
Aprenda a viver sem a compaixão de terceiros,
Nessa vida quem não derruba é traiçoeiro,
E apenas conta vantagens por saber rezar.
Acima nos céus cantam os anjos,
Com sua harpas no céu de cristal.
Bem abaixo devoram os demônios,
Com os seus garfos em um calor infernal.
Entre isso tudo, estamos nós os otários,
Que passamos nosso destinos a se queixar.

Em baixo dos céus,
Sobre um mundo de vidro,
Esconde-se o perigo,
De ver a verdade.
Às vezes machuca, às vezes engana,
Às vezes caduca, às vezes reclama.
Siga-me no deserto, no canto do espaço.
Siga-me no relento, por tudo que eu faço.
Não ache tudo tão fácil,
Não ache nada tão do mau,
Não julgue as palavras inferno ou demônio,
Não julgue as palavras Deus ou angelical.

Não seja tão trouxa,
Não vê o que se passa,
Em tudo se vê o novo,
Misturado com a desgraça.
Jaz aqui alguém no profundo,
Oceano da alma da trapaça.
Siga-me na multidão, enquanto ela existe.
Siga-me na escuridão, da boate do fracasso.
Siga-me no começo, ou na final da missão.
Não orem por meus pecados,
Não me mudem de direção.
A vida é tão bela. Eu quero aproveitar.

Abrir mão daquilo que não existe,
Pode ser um grande sacrifício.
Abrir mão daquilo que persiste,
Pode ser um grande sacrifício.
Não me ataque pelas costas,
Ainda posso ser fraco das pernas.
Quem prefere o juntos,
Cresce sem ter fé.
Quem faz tudo no juntos,
Põem um muro mais fácil em pé.
A estrada do sucesso,
É incolor a um cristão.

Um caminho seguro,
Repleto de luz,
Que tenha coelhos,
E o meu Jesus.
Que seja a benção,
Da vida na Terra.
Quem o faz tão inocente,
Que cresce e se torna alguém descente,
Que rege o espírito do leão,
Para a vida da dor, agonia da compaixão.
Quem rege o pecado se liberta,
Quem rege o pecado se acerta.

Amo dar as mãos ao meu progresso.
A paz do espírito, ao dinheiro e sucesso.
Comendo batatas cozidas com sal.
Fazendo as escuras perto do Natal.
A luz que é cristo ainda não nasceu.
Logo ali na Páscoa ele faleceu.
Eu sou o caos do mundo.
Deserto da sede, incerto dilema,
Feliz de quem mostra os dentes,
Daquele que possui o cajado na mão.
Incolor mundo de infelicidade,
Incolor mundo de um cristão.

By: AyKe.HeineDef.

9.1.12

Pequeno Sonho

Feito em 14 de Dezembro de 2011...
Dorme criança, a cuca vem pegar!
Dorme criança, segure minha mão!
Dorme criança, Papai Noel vai chegar!
Dorme criança, dorme criança!
Que seus sonhos não acabem,
Que sua fé lhe dê desgraça,
Que o medo não lhe invada,
Onde a luz só faz trapaça.
Dorme criança, a cuca vem pegar!
Cuidado com o boi,
Dorme criança travessa.
Dorme criança, você é devassa,
Dorme criança, não banque a palhaça.
Quem sabe aprenda a sonhar,
Com um lugar mágico e melhor.
Dorme ser inocente,
Quem sabe vire alguém descente,
Quem sabe só faça merda.
Nos sonhos as festas e as danças,
Nas tardes brincadeiras e risadas,
Nos sonhos os pesadelos da criança,
Que passam as noites enclausuradas.
Criança feliz que quebra o nariz,
Criança mais feliz é a que não quebra.
Se dissessem a mim a verdade,
Não estaria te fazendo dormir,
Estaria lá fora a explodir,
Aquilo que se chama mundo.
Mas onde está minha educação?
Queremos ordem e progresso!
Criança feliz que cobre os olhos,
Não faça pirraça esperando ganhar,
Uma bela borboleta dourada dos sonhos,
Da mágica da meia noite do encantar.
Avise-me se voltar logo,
Avise-me se fé lhe faltar,
Avise-me se beija a Judas,
Querendo a Cristo um dia salvar.
O vento do pó que sopra as narinas,
Uma caruagem de abóbora da Cinderela.
O governo cruel que faz chacinas,
Um conto de fadas entre a Bela e a Fera.
Dorme criança, um dia quem sabe acorde.
Dorme criança, se não acordar eu te enterro.
Dorme criança, se você for para o inferno,
Não se esqueça de me mandar um cartão,
Para minha lembrança de seu coração,
Indomável de fogo, de medo do boi.
Se sair cavalgar em arco-íris,
Com seu grande unicórnio amarelo,
Ou se propôr-se a desenhar o sol,
Com seus enormes carrosséis do inferno,
Não se esqueça que fui eu que te fiz dormir,
Que cantei para os seus sonhos,
Que não te deixei cair.
Busca incerta da razão,
Quando crescer você me entenderá,
Saíra por aquela janela entre-aberta,
E nunca mais voltará.
Você nasceu minha criança com um chifre,
No meio da testa, sinal de um olho.
Agora durma bem, não faça cena,
Dorme criança, ainda não acabou seu soro.
Dorme criança, as enfermeiras já voltam,
Para lhe fazer sonhar mais um pouco.
Não acorde, querido! O mundo já não vale tanto assim, é torto.

By: AyKe.HeineDef 

8.1.12

Super Herói

Feito em 14 de Dezembro de 2011...
Super herói não é aquele que salva,
É o que liberta você de você mesmo.
Super herói não é aquele que voa,
É o que faz você alçar grandes vôos.
Super herói não é aquele que possui visão de raio X,
É o que faz você enchergar o mundo.
Super herói não nos ensina,
Apenas nos salva em sua fé.
Um verdadeiro super herói não é pai,
Não é filho, é apenas super.
Tantos super heróis erguidos no ego,
Impostos no medo que assola,
Jogados a sorte dos que perdoam,
Jogados nas esquinas e esmola.
Alguém realmente lhe salva quando você pede,
Ajuda ou socorro,
Ajuda ou socorro?
Quem sabe pela justiça movam os céus,
Crucifiquem super heróis,
Destruam fronteiras.
Quem sabe pela justiça batalhem em campo,
Contra o reino dos verdadeiros,
Dos que não caem perante a lei do universo.
Se a mão é de ferro,
Se o herói não se controla,
Se acabasse o sofrimento,
Ou a fome que assola.
Pobre mundo perdido de mãos erradas.
Quem sabe ainda temos tempo para mudar,
O que é perdido pode ser torto,
Podemos ceder e não nos humilhar.
Vazio? É meu coração nesse momento.
Ocupada? É minha cabeça que não pensa.
Quem vive apenas atormenta,
Tudo aquilo que podemos ganhar.
Quem sabe aos poucos se acabe,
Os combates secretos dos super heróis,
E talvez o mundo entre nos eixos,
Do expresso iluminado da luz da razão.
Todas as vezes que tentar,
Alguém pode puxar o meu tapete,
Mas se acreditar em meus sacrifícios,
Sei que posso esperar pelo melhor.
O melhor pode ser uma chance,
Ou apenas um algo a mais perdido.
Um super herói não reclama,
Só aprendeu a ouvir reclamações.
Um super herói releva,
Onde deveria intervir com as mãos.
Aposta comigo onde posso chegar?
Aposta comigo onde posso chegar?
Quem sabe apenas esteja na confirmação,
Da vida dizendo um sim sou sua.
Sentado no trono real,
Tirando de mim todo o meu mau,
Educando o que se deve educar.
Ainda assim vejo o belo,
Ainda assim desejo o sol,
Agradeço a lua,
Sou peixe fisgado,
Esperando o meu super herói chegar.
Quem sabe essa não seja a hora,
Mas tentar ao menos não me mata,
O que me mata são os pregos heróis,
Ou as pessoas medonhas e abstratas,
Que me olham e me matam. Onde está meu super herói?

By: AyKe.HeineDef.

7.1.12

Explosão

Feito em 09 de Dezembro de 2011...

Nada além de um Bum. Um Bum de explosão.
Um zero. Um começo. Um novo.
É isso que eu quero. É pra isso que eu me preparo.
Quem não acompanha o sol nascer?
Um Bum de nada, além disso, nada e nada.
Uma dor sem o ar dos pulmões.
Isso é o que eu sinto. Para isso é que eu me preparo.
Tudo pode ter um pingo de existência,
Basta apenas se fazer e acreditar.
Basta crer nos sonhos impróprios,
Ou nos próprios da crendice popular.
Voltei no espaço e tempo.
Não na situação e lugar.
Mas para mim pouco me importo,
Quero ver tudo explodir e acabar.
Quem destruiu os meus sonhos,
Não me pediu se eu queria ser diferente ou não.
Quem me levou para o sentido oposto,
Não me perguntou se eu queria ter a razão.
Os olhos que cegam o meu peito,
Que relutam na dança da minha comoção,
Uma pessoa que se fascina é louca,
Ou pode ser cega de uma paixão.
O dia é relutante e modesto,
A praga se espalha pelo ar,
A lua brinca no céu, o sol é honesto,
A colheita de felicidade é a minha paz.
Não quero poder pular sobre o mundo,
Sem ao menos poder ver todos se ferrar,
Ou cair nos abismos na própria mente,
Ou comer do mau e se engasgar.
Esse é o lindo momento da esperança,
Por ser alguém de dias de preparação,
Onde podemos viver no remorso,
Ou apenas perder a razão.
Quero ver o Bum, nada mais, além disso.
Um zero. Um começo. Um novo.
É só isso que eu quero. Preparo-me na tarde luz.
É só isso que eu quero. Preparo-me na tarde da cruz.
Cruz vida, cruz morte, cruz da ressurreição.
Não pedi que acompanhasse os meus passos,
Que você lê-se alguma coisa,
Que não tenha emoção.
Sou frio, sou o começo, sou a revolução.
Sou denso, sou pitagórico, sou alguém, sou explosão.
Por mim que tudo se acabe,
Por mim que todos morram.
Se morrer eu não irei sozinho,
Passar o dia vestido de estrela.
Sentado no início. O começo do novo.
Saindo de cena, assim eu não me engano.
O mundo pode me fazer cair.
Posso ficar sem nenhuma direção,
Mas mesmo assim não preciso de empregados,
Onde posso usar as minhas próprias mãos.
Quero um mundo além de novo.
Cansei de mudar o tema e a cor.
Se me programarem para sorrir,
Mesmo assim não sentirei dor.
Quero a explosão de novo.
Quero ver tudo cair no chão,
Quero ver o começo do todo,
Das inúmeras coisas que fingem e não são.
Um olho que pode ver tudo?
Até hoje não viu meu coração.
Não sei se vivo no muro,
Ou se espero o novo do Bum. A explosão.

By: AyKe.HeineDef.

6.1.12

A Droga Do Momento

Feito em 14 de Dezembro de 2011...
A droga do momento é rir de sua cara.
A droga do momento é ficar cego de um olho.
A droga do momento é ver felicidade onde não tem.
A droga do momento é pensar no depois e não no agora.
A droga é ter razão sobre o que não se tem.
Há muitos ainda que me chamam de louco.
Nenhuma droga é mais viciante que um banho de chuva,
Que uma tarde de sol embaixo de árvores.
Nenhuma droga é mais viciante que um sorriso sincero,
Que um abraço do vento e um céu azul entre nuvens.
Não preciso usar as drogas,
Se as drogas me usarem.
Mas ser usado hoje em dia já virou moda,
E também é a droga do momento.
Hoje o mundo me abraça,
E me mostra o por que estou vivo.
A paisagem não poderia ser outra.
Solene benção da mãe Terra.
A droga do momento é ser feliz?
Então eu posso me drogar sem problemas!
Se a droga mata? Por mim tanto faz,
No final de tudo isso eu vou morrer mesmo.
Feliz é quem faz o que quer,
E não aquele que tem o que quer.
A droga do momento é ouvir sem opinar.
A droga do momento é perder palavras onde não se pode.
A droga do momento é você.
Já se drogou de alegria hoje?
A felicidade não o espera,
Conquiste suas próprias chaves do verão.

By: AyKe.HeineDef.

5.1.12

Verdades Do Verão

Quer saber uma grande verdade?
Eu estou sentado sobre o mundo.
Quer saber outra verdade?
Hoje em dia ninguém mais vale à pena.
Ninguém mais vive. Só faz drama e cena,
Esperando alguém com piedade para ajudar.
Quer saber uma verdade?
Eu vou mudar para um novo mundo.
Quer saber outra verdade?
Você que vá se danar!
Hoje em dia só pensam em problemas,
Eu sou anormal? Eu quero viver e me ferrar.
Vá para o inferno com suas opiniões.
O que me custa viver um pouquinho?
Se de santo só na reza,
Se de santo só na reza.
Corra do fim, tenha esperança!
Quem não é desprezado, dança.
Quer saber uma verdade?
Já me cansei desse verão,
Do calor dessa estação,
Eu quero mais que tudo exploda!

By: AyKe.HeineDef.