30.9.12

Seguir Em Frente

Feito em 30 de Setembro de 2012...
Cansei dessa porcaria toda. 466 Textos.
Eu quero mais que tudo se exploda.
Eu não preciso escrever merda nenhuma,
Não é minha obrigação dar idéias tão nulas,
A ninguém desse maldito universo.
Eu parei com essa jogada de textos e versos.
Não faço mais nada. Ninguém pode me obrigar.
Eu sou o que eu sou. Não vou mais me matar.
Nunca precisei disso para provar alguma coisa.
Vou seguir em frente. Tudo foi bom enquanto durou.

By: Vinicius André.

Senhor Mr.Rá

Feito em 29 de Setembro de 2012...
Esse é só o início Senhor Mr.Rá...
Demorei muito para poder acreditar...
Esse é só o início Senhor Mr.Rá...
Este pequeno milagre está para chegar...
Esse é só o início Senhor Mr.Rá...
Um desejo profano que me faz delirar...
Esse é só o início Senhor Mr.Rá...
Senhor poderoso o fim vai chegar...
Esse é só o início Senhor Mr.Rá...
Diante da vida não posso parar...
Esse é só o início Senhor Mr.Rá...
Eu quero um pedaço do que vai começar...
Esse é só o início Senhor Mr.Rá...
Um dia no inferno, outro dia sem ar...
Esse é só o início Senhor Mr.Rá...
Pecado é injustiça de quem sabe amar...
Esse é só o início Senhor Mr.Rá...
Palavras nojentas viciadas em áááááááááá...
Esse é só o início Senhor Mr.Rá...

By: Lord Swaam.


Solitário

Feito em 29 de Setembro de 2012...
Acabei pensando de mais hoje de tarde,
E cheguei a tantas conclusões esquisitas.
Não sei se isso pode ser algo positivo,
Ou se eu estou me precavendo e me ressentindo,
Mas a minha felicidade sempre vem dos meus momentos,
Em que fico sozinho, sem pensamentos, vazio, indelicado.
Quando me sento no nada sem o mundo do meu lado,
Dizendo-me o que eu sou, o que eu faço,
O que eu estou querendo, o porquê de todo fato.
E me sinto uma parte do universo.
Sinto-me como parte de alguma coisa.
E não ligo se me chamarem de egoísta ou de solitário.
No meu mundo eu sou mais do que revolucionário.
Muitos acham tão deprimente acabar sozinho na vida,
Eu acho mais reconfortante essa estrada escolhida,
Solitária é a pessoa que anda cega pelo mundo.
O amor não precisa ter carne e osso,
E eu acabo sendo aquele fim de festa mágico.
Solidão é para leigos. Eu vivo no meu mundo fantástico.

By: Eyke.ATaaJA.


29.9.12

A Guilhotina

Feito em 21 de Setembro de 2012...
Aprese sua leitura. Vai perder o espetáculo.
No fim terá uma grande guilhotina,
Encerrando mais um grande ato.
Segure a sua cabeça, se não também entra no saco,
Daqueles que já foram marcados para morrer.
Um jogo de xadrez para o piso, uma cortina toda bordada,
Uma tocha na parede iluminando, o plano e toda uma jogada.
E se bastassem os tantos livros que mentiam,
Escrevendo uma história manipulada,
E todos aqueles sinais que diziam,
Que a vitória sempre esteve nas mãos erradas.
Fechando a boca, costurando os corações.
Enjaulando as pessoas frente a frente com leões,
Esse era o jogo do estado romano.
A vida de outono, em um campo cigano.
A singular aparição de um conto mexicano,
Por que os povos se iludiam e isso sempre foi um engano.
Segure a sua cabeça, se não também entra no saco,
Daqueles que já foram marcados para morrer no fim do ato.
Se posto em um altar depois de entoar um grande mantra,
Ou ficando escondido por ainda ser uma santa,
A aposta de um verão chuvoso e com trovoadas,
De possibilidades abertas e todas povoadas,
Daqueles medos que nos prendem quando crianças.
Falsos empenhos. Falsas promessas. Falsas esperanças.
Um jogral com o nome do futuro do mundo.
Antigamente quase nada poderia ser bem visto.
Não me julgue por citar nomes um pouco antes do previsto.
Todo o tempo foi criado, um crime isolado do não ver mais Cristo.
Imaculada conceição, desterro da pátria do Brasil.
Circundado de esperança, um futuro tão sombrio.
Redentor da minha pátria, que morreu em uma cruz.
Impetuoso o grande e digno, o criador do mundo vitorioso.
Sim, esta luta não é luta.
Tudo já foi muito bem empregado.
Olho por olho, dente por dente. O povo está sendo condenado.
E bastam apenas mais algumas chances,
A réplica e a tréplica de achar um Deus dos lados.
Acompanhar a prisão dos artistas torturados.
Arrancar os dentes da fada que não mostra,
Que a vida das pessoas sempre foi uma grande bosta.
E por falar mais do que devia ele perde a cabeça.
A guilhotina corta os nervos, mas faz um morto com nobreza,
Um corte afiado. Um corte sedutor.
Um corte condenado de um grande traidor,
Aquele que não beija a cristo como Judas o enforcado,
Mas aquele que planeja a parte, um mundo diferentemente iluminado.
Do lado direito abita em mim o Deus do juízo.
Do lado esquerdo habita em mim o Deus pulsante,
Aquele que me enlouquece e me mantém empolgado e empolgante,
Por perder a cabeça na guilhotina centesimal.
Seguindo a linha reta da fila,
Eu sempre quis ter um final.
Célebre seja o Deus que habita em mim.
Segure a sua cabeça, se não também entra no saco. Ato Final.

By: Lord Swaam, JeAAne. ELeVen, Ayke.HeineDef.


Simplesmente Um Nada

Feito em 10 de Agosto de 2012...
Quem me disse que eu poderia acreditar na vida?
Ninguém me disse. Eu simplesmente acreditei!
Quem me disse para viver e fazer algum sentido?
Ninguém me disse. Eu simplesmente fiz!
Amar ou ser amado, viver um amor bandido?
Por que existem obstáculos quando tudo se torna possível?
Não pense você que eu nunca tive um coração,
Ou que eu nunca quis viver com você para a eternidade.
Mas não sou eu que mando em mim,
Isso é coisa de gente da maldade.
A vida me fez assim, um apaixonado pelo pior dos amores,
Aquele que enlouquece, que cega, que até mata,
A pintura é barroca, a musica é clássica, a alma é abstrata,
O molde exemplar de criar uma boa arquitetura,
Com ela moldar as formas e todas as criaturas,
Não se pode deixar de viver sem ver o lado bom.
Eu nunca pedi para ser assim dessa forma,
Às vezes ninguém acredita, ou se quer irá dar bola,
Mas é aqui que eu vivo?  Nesse mundo que eu vivo?
Eu não quero morrer ser ter deixado algum vestígio,
Como uma palavra, como uma obra, como um exemplo,
Nem que seja o pior, ou uma lembrança de algum tempo.
Eu acho que sou a ultima das pessoas que ainda se cega pela vida,
Que faz as coisas sem nenhum mérito, apenas por dar uma partida,
Em um mundo que apenas critica aqueles que sabem o que querem,
Aqueles que nunca cedem,
Por que amam o que fazem e ficam comovidos,
Choram pelos cantos e ficam envolvidos,
Sem nunca pedir para ser confiante,
Ou para a vida lhes transformar em alguém tão arrogante.
O mesmo desejo que eu tinha antes,
Hoje não me satisfaz nem pela metade,
E fico pensando: será a humanidade?
Acho que não. Quem sabe o problema seja eu.
Não posso escrever um grande texto como Julieta e Romeu,
Que influenciou um século romântico,
Mas posso ao menos opinar sobre algum ponto.
As pessoas já foram mais verdadeiras e menos assustadas,
Não precisavam esconder as emoções e não eram frustradas.
Eu? Quem sou eu? Eu simplesmente sou um nada.
Sou um nada consciente, um nada envolvente,
Sou um arquiteto de um universo,
Ao mesmo tempo em que tudo será muito inverso.
Nunca poderei mandar em mim mesmo,
Pois é quando crescemos que nós percebemos,
Ou somos um nada ou nada nós seremos.

By: Eyke. ATaaJA.


O Iludido

Feito em 15 de Setembro de 2012...
Eu estou iludido e me fazendo acreditar,
Por que esses pensamentos não saem da minha cabeça?
Eu fico perdido, tentando domar,
Esses pensamentos, antes que eu enlouqueça.
Um fracasso, um nojo, um desejo interno.
Eu quase durmo nesse calor. Mas ainda é inverno!
Não sei mais em que fase eu estou andando,
Com quem eu estou lidando,
Se eu estou meio acordado, ou se vivo só sonhando,
Aos poucos os resultados estão chegando,
E eu aqui parado apenas me lamentando.
E por que eu tenho que rimar?
Por que eu tenho que escrever?
Por que não posso simplesmente me entregar,
Me deixar levar por uma doença e morrer?
Não quero que saibam que eu estou adoecendo,
Que estão me deixando louco e aos poucos estou desaparecendo,
Por que nunca fui um dos iluminados que desejava a paz,
E nunca apreciaram aquilo que eu fiz lá atrás.
Apenas mais um copo vazio que foi virado.
Apenas mais um sonho que foi roubado.
Por que seduzem você da forma mais barata,
Quando você não tem saída, quando sua vida é ingrata,
Quando você está cego como um pirata,
Com um olho que não enxerga é nada.
Eu não quero mais usar a minha persuasão,
Eu não quero mais ser um ninguém sem opinião,
Eu quero um lugar no sol que não nasceu,
Eu quero um lugar no paraíso que Deus me prometeu,
Eu quero poder respirar sem nenhuma culpa,
Sem nenhuma dessas coisas malucas,
Que me rodeiam e me fazem enlouquecer!
Eu quero ser batizado de novo e quero crescer!
Eu quero ser lembrado por ter conseguido vencer!
Eu não quero a clausura. Eu quero aparecer!
Eu quero fazer, eu quero acontecer!
Preciso faxinar essa minha mente impura,
Pintar na cara uma carranca, ter uma feição mais dura.
Preciso parar de acreditar nas minhas fantasias,
Esvaziar os meus conhecimentos, viver mais sem a alegria.
Preciso vender algumas das minhas experiências,
Apagar os meus fracassos e me dar um pouco de decência,
Por que nada nesse mundo é tão sujo quanto a minha mente.
Preciso parar de mostrar essa alegria aparente,
Eu sou uma pessoa com feição maldita e mentirosa.
Eu sou um egoísta, um fraco, tenho uma mente duvidosa.
Acordei pela manhã com uma mensagem pavorosa!
Se acordou todos os oito será uma alma poderosa!
Não posso acreditar no que estou passando.
Se puder acreditar, me ajude, eu estou precisando,
Eu quero ao menos uma vez na vida poder ser eu mesmo.
Eu quero poder fazer por mim mesmo.
Eu estou iludido e me fazendo acreditar,
Por que esses pensamentos não saem da minha cabeça?
É melhor eu me conformar. Antes de tudo, por favor, desapareça!

By: Artus KieDake.


27.9.12

Amigos Malditos

Feito em 13 de Setembro de 2012...
Grande senhor desse equinócio,
Como posso fazer um bom negócio?
Se você diz que não, eu digo que posso,
Olhos abertos enxergam melhor do que os fechados.
Chegou um copo cheio. Saiu mais um vazio.
Sem sorrisos e apático, eu sempre fui muito frio.
Malditos são aqueles comprimidos,
Me tornam melhor do que eu posso ser.
Chegou um copo cheio. Saiu mais um vazio.
Aquela velha esperança me bate,
Deve ser a bebida que me deu um arrepio.
Malditos são os meus depressivos,
Mas, me tornam melhor do que eu posso ser.
Dizem por aí que eu não sou dos melhores,
Não sou nem um pouco normal. Não sou dos piores.
Se fosse hoje diria: “Não me amole!”
Naquele tempo não sabia o fazer.
Perdido em um mundo de psiquiatra,
Da mente inocente, a criança se mata,
Mais compridos que deveriam ser tomados.
Peguei todas as opiniões e enfiei em um saco,
Gigante como a senhora orca, senhora azul.
Virei a Constantinopla de Istambul.
O cristão virou um pirata,
E desistiu de tanta ilusão.
Os seus amigos: o comprimido e a vodca,
Foram enterrados em um caixão.
Tente se descobrir. Feche os olhos e veja a sensação,
Poder sair de si mesmo, sem necessitar da razão.
Sou melhor do que eu posso ser.
Me viciei em egos e não em depressão.
Pedi a bruxa da floresta: “Eu quero me realizar, te dou meu coração!”
E me vi no espelho com outros olhos,
E pintei o meu cabelo com outros tons,
E conheci a vida melhor com o tempo,
E vi que tudo sempre foi a pura decisão.
Cheguei para mim mesmo com muito entusiasmo,
Por que eu sempre fui forte, sempre fui precioso,
Sempre almejei aquilo que é eterno,
O melhor da vida e o mais misterioso.
Quem eu via no espelho? Era eu mesmo?
Era outro de mim que não existia mais.
Aquele velho e fraco garoto, que havia deixado para trás,
Ele olhou para mim e riu da minha cara,
Idiota maldito! Me dê uma arma!
Foi assim que esqueci aquilo tudo.
Foi assim que abri um sorriso.
Nunca mais fico no tento,
Nunca mais me diga que eu não tenho talento,
O grande e velho julgamento de pensamento.
 Eu decidi ser mais atento,
Se a verdade aparecer eu nunca mais invento,
O grande e velho julgamento,
Nunca mais fico no tento.
Olhos abertos enxergam melhor do que os fechados.

By: Alguém De Mim Desconhecido.


Prosa Da Morte

Feito em 05 de Agosto de 2012...
Sentado olhando fixo para o espelho, ele admirava o seu mundo. Com muito mais câmeras, muitos mais diálogos, um cinema mais profundo. O seu olhar menos duro do que antes quando empunhava palavras pesadas, que deixavam no ar um clima mais suspenso a uma guerra nuclear. Ali parado deixa-se deitar na cama, se entregando por inteiro ao seu novo conceito. Olhava para pontos fixos, fazendo cenas e sendo um diretor mais que perfeito. Não vem a sua cabeça a batalha que travava antes com uma aranha menor em tamanho, maior em seu ego. Um bicho selvagem? Quem sabe por medo a deixou viver isso eu não nego. Mas era uma vida, digna por encarar alguém 10 vezes maior do que ela. Não merecia ser esmagada por sua coragem frente a batalhas e guerras. Quem sabe um dia eu serei uma aranha. O que importa nesse momento era o jovem em sua cama. Se perguntassem o que fazia naquele momento, as palavras não poderiam explicar o fato. No banho se lembro do jovem que me parecia tão fraco! Mas ali naquela cama, ele era alguém e um exemplo a ser seguido. Uma capa de um CD, talvez um cinema colorido. Se pagasse por seu crime, estaria tudo mais que entendido. Isso e a fama foi o que ele pensou. No banheiro anteriormente, o pobre quase se matou. Mas que motivos o levam a cometer ato tão exaustivo? A morte é um milagre, é um momento inconfundível. O sol nasce para todos? Essa foi a pergunta que mesmo com o cabelo molhado ele respondeu sem duvidar. Sim. Estaria um tanto perdido tentando acreditar. Antes não tinha nada, hoje não tem do que se queixar. Se esse não for um bom motivo, não sei mais por que ele quer se matar.

By: Eyke. ATaaJA.


26.9.12

Nasce A Fantasia...

Feito em 07 de Setembro de 2012...
Eu criei dentro de mim algumas fantasias,
E nunca mais prometerei saber fazer a alegria,
Que transforme a opinião desregrada de alguém.
Eu prometi para minhas fantasias que nunca seria,
Alguém menos do que um mais,
Que sempre eu seria capaz,
De viver sem olhar para trás.
Não posso lembrar-me do passado,
Sem mentir sobre algumas partes,
Sobre aquelas coisas que me deixavam para baixo,
Como uma doença infinita em tantos fatos.
Toda minha história sempre esteve escrita,
Na parede do banheiro.
Não posso mais garantir que nunca serei,
Um alguém completamente verdadeiro.
Eu sinto em mim mais um momento propício,
Para dar mais um início,
E me confundir um pouco mais nessa vida,
Seria alguém novo? Seria uma fantasia?
Por que eu não posso mais ser eu mesmo todo dia?
Na verdade nunca fui criado para tal normalidade,
Cresci e aprendi ainda criança o jogo da anormalidade.
Quem roubou no jogo das cartas e blefou,
Enfim sorriu, renasceu e ganhou,
Um nome dito entre oito dos outros.
Não tão belo quanto Vênus,
Ou quanto um hino de um país no extremo,
A fantasia é meu veneno,
A minha tentação terrena do éden.
Se você me ama me deixe partir,
Pois hoje é mais um dia para poder sorrir,
A tempestade não passará sem fazer as suas vítimas.
Não preciso chegar tão longe, longe é longe de mais.
Preciso de alguns corvos e muita paz,
Para poder enforcar mais um nesse dia.
Não me leve, quero minha alforria,
Mas isso é mais um drama de algum garoto sem dia,
Sem hora, sem lugar, sem alegria,
O vício supremo criado em minha cabeça, cheia de fantasia.
Não vou mais arrumar desculpas para mentir sobre os fatos,
Se não pudesse mais viver morreria em um grande ato,
De extrema impulsão e repulsa.
Um revólver e uma bala. Uma chance de morrer sem luta.
Morrer sem luta não é morrer sem causa.
Se isso lhe assusta eu faço uma pausa.
Não preciso usar o medo, se o medo me usar.
Se um dia você acreditar, vai aprender a jogar,
O jogo do mundo e das pessoas.
Mente vazia é morada do vazio. Tudo numa boa.
Quero acabar com as esperanças,
Com as minhas fracas lembranças,
Se eu fosse mais você, seria uma criança,
Mas como eu sou mais eu,
Sou a invenção do fogo, sou a escrita e a mudança.
Morrer sem luta não é morrer sem causa.

By: Eyke. ATaaJA.


Vida Miserável

Feito em 16 de Setembro de 2012...
Cheguei à conclusão que tenho que encher a minha cara,
Por que ninguém faz nada por mim mesmo,
Ninguém pensa em mim mesmo,
Por que justamente eu devo pensar?
Eu estou pouco ou nada me importando com as coisas,
Uma hora tudo vai ter que mudar,
As pessoas que se dizem tão familiares,
Um dia vão ter que morrer ou desaparecer da minha vida.
Eu não consigo mais viver dessa forma.
Eu queria estar tão longe... Longe dessa porcaria toda.
Eu cansei dessa vida miserável.
Eu cansei dessas pessoas fracassadas.
Eu cansei de tudo que me atormenta.
Eu cansei de me irritar por coisas fúteis.
Eu cansei de ser um objeto apenas útil,
E não ser aquela porra que eu sempre quis ser.
Eu cansei de bancar o grande futuro,
Por que sei que esse futuro nem pode existir.
Eu cansei de tudo. Das pessoas, dos lugares, da minha casa.
Eu simplesmente não quero mais pertencer a nada,
A nenhum vinculo social, familiar, quero partir para esse nada.
Quero me dar um tiro na cabeça e seguir a minha jornada,
Eu não quero mais ficar empacado entre a cruz e a espada.
Eu não quero um destino fabricado,
Eu não quero mais nada do que o inferno.
Eu não pertenço a esse mundo tão robotizado.
Tão incapaz e manipulado.
Eu cansei das merdas que me dizem quando eu passo,
Eu quero que se explodam todos os gordos, eu faço por que faço,
E não me venha nunca mais com uma cara debochada,
Por que eu não estou mais acostumado,
A levar deboches para o meu maldito lar de pessoas fúteis.
Não pedi para você perder seu tempo aqui, com coisas não úteis,
Estou indo buscar o meu futuro.
Cansei de viver com os escândalos dos favelados,
Daqueles idiotas que moram aqui do lado,
Por que eu não preciso ser mais miserável do que eu já sou.
E não quero mais nada. Tudo já terminou.
Todo aquele tempo feliz e manipulado.
Eu quero poder não ter mais medo e ser enjaulado,
Naqueles meus sonhos eternos das piscinas de ouro.
Se bastassem apenas algumas coisas ou valores,
Alguns daqueles velhos sabores,
Os meus grandes sonhos que foram destruídos,
Que foram entregues e muitos perseguidos,
Eu vou me entregar pra toda essa merda.
Eu não nasci para ficar sobre palmos de terra,
Assim tão facilmente.
E por mais que eu haja tão sinistramente,
Hoje é você que rezará para ir para o inferno,
O que eu farei com a humanidade será algo eterno,
Insuportavelmente igual ao que me fizeram noite passada.
Quero me dar um tiro na cabeça e seguir a minha jornada,
Eu não quero mais ficar empacado entra a cruz e a espada.
E não quero mais nada. Tudo já terminou. Vida miserável.

By: Lord Swaam.


25.9.12

Texto Dos Desiludidos

Feito em 22 de Setembro de 2012...
Olhe pela janela e se jogue,
O mundo sempre irá lhe odiar mais do que você mesmo,
E você nunca terá chance, por que nasceu para ser um nada.
Não fique se enganando, você sempre vai regredir,
Por que a vida não sorri para você,
Sempre será um belo filho da puta.
E não pense que você é único, por que o mundo não é justo,
Igual a você se encontram mais um milhão de pessoas,
Que pensam e são iguais, e ainda são melhores.
Se dê um tiro na cabeça,
Na vida você não contará com ninguém verdadeiro,
E se você busca por isso, me desculpe,
Mas a mentira é o mal que assola o mundo inteiro,
E você é a única pessoa ainda no mundo,
Que acredita nessa baboseira toda de ser certinha,
Não pense duas vezes, se jogue na linha,
Daquele trem que passa perto da sua casa,
Uma hora ou outra você teria que morrer,
Por que não apreçar o fato disso acontecer?
Tome uma cartela de comprimidos,
E durma eternamente sem precisar achar,
Aquele homem que te faça feliz,
Sem o medo de te deixar sonhar.
Corte seus pulsos e morra ensanguentado,
Por que nenhuma mulher irá lhe amar,
Você é ridículo nasceu fracassado,
E nunca mais poderá enxergar,
Que sua vida é miserável, sem futuro, sem amor e sem dinheiro.
Você não fará falta para o mundo inteiro,
Por que nasceu sendo indesejado,
Por que você é o filho não planejado,
E por que ninguém se importa com você.
Pegue uma corda e passe ao redor do seu pescoço,
As crianças nunca te aceitaram por ser grosso,
Por ser fino, por ser baixo, por ser alto ou torto.
Você não presta para nada.
Não merece o respeito do resto do mundo.
E sabe que todos odeiam você lá no fundo,
E nunca se aproximaram de você por que gostam de você.
Seus medos nunca acabarão,
Cada dia eles piorarão,
E você ficará sozinho, perdido na escuridão de um quarto fechado.
E ficará lá preso como um pássaro enjaulado.
E ninguém poderá ouvir nenhum dos seus gritos.
Se não se matar agora, mais tarde será pior,
As pessoas nem se lembrarão de quem foi você,
Do que você fazia, vão tratar de se esquecer,
Das suas manias e esquizofrenias.
E o que te restará sempre será essa opção:
Uma faca, uma arma, uma corda, um canhão.
E apenas dessa forma você poderá mostrar ao mundo,
Que foi capaz de fazer alguma coisa útil,
E foi corajoso o suficiente pela primeira vez em sua vida.
Foi em busca de sua luz e sua grande partida.
Por que morrer não é tão ruim assim como se pensa.

By: Lord Swaam.


Vídeo Drama


Posso me descabelar e tentar fazer isso,
Talvez eu caía em uma cama ou em um hospício,
Mas eu não nunca disse que isso foi difícil,
O que eu quero ainda nem chegou ao início.

De manhã quando acordei vi tudo ensolarado,
Um pouco mais de alma em tudo ao meu lado,
Um diagrama mais perfeito e muito bem elaborado,
Um dia diferente e um lado menos macabro,
O pássaro nunca esteve enjaulado.

Menti quando disse que faria diferente,
Que seria normal e mais descente,
Por que isso não existe em meu dicionário,
Eu não pratico retrospectiva, sou revolucionário,
Sou incendiário, sou extraordinário,
Sou um sonhador entre tantos otários.

Nunca disse que não faria,
Que nunca mudaria e largaria,
Aquilo tudo que sempre fui na minha vida.

Hoje quero me banhar com água suja,
Quero forjar a ferro uma nova musa,
E fazer uma arma caseira que nunca se usa,
Quando cego, quase nego, se abusa.

Quero tomar uma ducha de podridão,
Quero me lavar com desaforos e a sua opinião,
Quero abrir meus pulsos, ver meu sangue no chão,
E gritar dolorosamente por nunca poder dizer um não.
Quero mergulhar em um rio negro,
Quero desvendar o mistério e o segredo,
Que se esconde nas minhas retinas,
Linhas tortas, linhas verdes, marrons e continuas.

A minha depressão é sua existência,
A sua falta de competência,
A sua opinião suja e sem decência,
Nunca disse que queria ser igual a você.

By: Eyke.AtAAJa.

24.9.12

Sem Nada E Nem Ninguém

Feito em 15 de Setembro de 2012...
Comecei apagando a luz, deixando minha casa escura,
Por que sentia esse mesmo vazio dentro de mim.
E nenhum sorriso mais seria a minha cura,
Eu vi que esse talvez seria o meu fim.
Estava um lixo, me sentindo humilhado,
Nunca existiu perto de mim nenhum caminho iluminado.
Não posso conviver com sonhos pesados,
Levados nas costas, doentias ficções de criança.
A felicidade hoje resolveu sair de casa,
Procurar alguma festa por aí que não tivesse o meu clima,
O clima fúnebre de alguém nada modesto.
Eu simplesmente fui tratado como um resto.
Aquela sobra de fim de festa. Que fica no chão e gruda.
Enquanto alguns enchem a cara por aí,
Eu estou aqui me lamentando e tomando suco de uva,
Isso é bom, mas me enoja!
Eu mereço tudo que eu passo e não posso reclamar?
Por que eu tenho que carregar a cruz mais pesada?
Por que eu? Nunca ninguém me explicou nada disso.
Alguns acham que sofrem tanto, que todo mundo os ama,
Que são tão diferentes,
Mas eu apenas só vejo egoísmo, sadomasoquismo por si mesmo,
Falta de maturidade, falta de coragem para enfrentar a sociedade,
Não é erguendo a cara e fingindo resolver os problemas.
É falando com as pessoas, é não se isolando da sociedade,
Não me venha com: “Ninguém vale à pena!”,
É você que não tem capacidade.
Não é que estou me lamentando,
Muita gente por aí que não faz nada nem sonhando,
E eu é que tenho que pagar pelo mundo,
Pelos pecados de um mundo que eu repudio,
Eu não nasci para Cristo porra nenhuma!
Eu não sou um missionário que prega palavras de luz,
Eu não sou o filho de Deus que morreu em uma cruz,
Eu sou aquilo que eu sou, mais que merda!
Eu sempre desvio da igreja, desvio do assunto,
Eu não nasci para rezar em uma igreja, ou em algum culto,
Eu sou avulso, eu sou avulso.
Eu sigo o meu impulso,
Não quero mais dividir nada com ninguém,
A ultima vez que tentei fazer isso riram da minha cara.
E essa minha raiva de hoje vem de anos,
De períodos piores da minha vida, sem planos,
Sem nada e nem ninguém.
Sem nada e nem ninguém.
Sem nada e nem ninguém.
Sem nada e nem ninguém.
Depois não diga que eu não tentei,
Depois não diga que eu não avisei,
Que eu é que fui o idiota,
Sem nada e nem ninguém.
Não quero mais sair da minha casa, da minha cama,
Do meu mundo escuro e depressivo,
Perigoso é aquilo que eu nunca disse.
E isso não era para ser bom. Que se foda.

By: Artus KieDake.


Vai Tomar No...

Feito em 21 de Setembro de 2012...
Tomei uma dose para burro,
Nunca pedi para meus pulmões funcionarem,
Ou para que meu coração batesse,
Quem sabe da próxima vez eu tenha mais sorte.
Estar dopado não resolve a metade dos meus problemas.
Mas, ao menos fecha os meus olhos por obrigação,
Me fazendo dormir, e dormir e dormir.
Até não aguentar mais viver de tanto sonho.
Não sei se foi uma dose de veneno,
Se vou conseguir controlar os meus comandos,
A minha vida está se acabando,
E eu sem poder fazer mais nada.
Por que o S não está mais funcionando?
É o ritmo do coração que bomba mais sangue,
E me deixa mais abobado,
Um pouco mais acalmado, dopado,
Um pouco mais submisso.
Isso não é como antiguidade um compromisso.
Parece mesmo que estou trancafiado em um hospício.
A minha cabeça pesa e a vida sempre é um sacrifício.
E nessa maldita tarde que estou dopado,
Está um dia muito lindo, frio e iluminado,
Tudo muito bem planejado,
Mas não posso aguentar, irei dormir como um condenado,
Como um drogado, por que tomei uma dose para burro,
Tomei por que eu queria sim me matar,
Me diga que graça viver essa vida,
Sabendo que tudo nunca vai acontecer, nem mesmo acabar?
Eu sei quando eu quero ter o meu fim,
Eu sei o que pode ou não pode ser bom para mim,
Eu sei o que é viver uma vida,
Eu sei o que é querer se matar de verdade no fim,
Não por problemas fúteis,
Por coisas maiores e úteis, para um motivo de sociedade.
Ninguém, por mais bem explicado que fosse, entenderia,
Eu estou feliz, eu estou dopado, mas estou vivendo,
Aos poucos os pontos das frases estão aparecendo,
E todas aquelas frases de antes foram completadas,
E fiquei abismado, fiquei aqui tentando acreditar.
Alguns comprimidos a mais não me matam,
Algumas palavras a mais não me tiram do serio,
Alguns planos fracassados não me interessam,
Os meus sonhos acabados não me importam,
O quanto você acredita em você muito menos.
Se tivesse algum tipo de veneno nessa casa,
Cansei do meu, tão ácido e mórbido.
Vou ter que sair daqui e fechar os meus olhos,
E eu sei que isso não vai ser um fim,
Por que eu morro quando eu quero.
Se não posso decidir o que ver, ouvir e falar,
O que eu posso comer e no que eu posso opinar,
O jeito mais belo que me sobra é tomar,
Comprimidos que me dopem desse mundo de hipocrisia.
Enquanto você sonhava com castelos, eu sonhava com a companhia,
Da felicidade ao apego da minha amiga morte.

By: Jeaane. ELeVen.


23.9.12

Poeta De Paz

Feito em 10 de Agosto de 2012...
Consegui realizar um sentimento espontâneo,
Um grande momento de meu sonho,
Eu sou responsável pelos atos de fés.
Domingo na grama eu ainda me mato,
Penso em me dar um tiro na cabeça,
Morrer e não olhar para trás.
Pois isso tudo é mais fantástico,
É mais lindo e emblemático,
É algo mais triste e mais prático,
Do que padecer da fome de cultura.
Uma intensão, ainda meio burra,
Uma melancolia, um desejo de ter ainda sorte,
Um acorde mais alto, um cemitério, e uma morte,
De mãos dadas dançando a valsa da escuridão,
Onde os pés não tocam mais o chão,
E o corpo apodrece na terra cheia de vida,
Cheia de restos, uma boa comida.
E nós lidamos com o caminho da via láctea,
Com essas palavras, sendo tudo uma farsa,
Um sentimento espontâneo e não planejado.
Um sentimento poderoso e abusado,
Por que despedaçar algo já despedaçado?
Preciso mentalizar um momento maior,
Com um fim não tão pior,
Do que esse desejo maldito que atiça meus sentidos,
Isso não é comoção, isso não se trata de meus vícios,
De coisas meio no incompreendido,
Quero viver mesmo que nunca sendo entendido,
As mesmas lágrimas, o vale escuro e perdido.
Eu sou espontâneo. Eu sou interiorano.
Eu faço apenas um pedido:
“Perdoe-me se fiz o seu coração estar partido!”
“Aprendi muito com você, eu que fui um bandido!”
Penso em me dar um tiro na cabeça,
Morrer e não olhar para trás.
Quem sabe dessa forma tão grotesca,
A vida me transforme em um poeta de paz.

By: Eyke. ATaaJA.


Pálpebras Pesadas

Feito em 26 de Agosto de 2012...
Ergui minhas pálpebras que eram pesadas,
Pude enxergar uma ficção mais elaborada,
Onde um sonho se transforma em realidade.
Tudo estava ao alcance das minhas mãos,
Podia ser e tocar as estrelas, com meus pés no chão.
Se fosse dia ou se fosse noite, nada me importava,
Estava condenado e minha mente não se calava,
E via que apenas estava no começo a minha jornada.
Se ela seria celeste ou se seria moderna, isso eu não sabia,
Apenas olhava para os lados e sorria,
Por que a vida estava sendo, pela primeira vez, boa comigo.
Ganhava aliados, seguidores, admiradores e amigos.
Via a inveja pingar de olhos alheios,
Eu estava pisando em um solo neutro,
Estava sendo amamentado pelos seios,
Do universo criado. Criatura e elemento.
E a chance que me foi dada, eu não desperdicei,
Fiz valer a pena o dinheiro que me investiram,
E todas as bocas caíram,
Admirando aquilo que levava o meu nome escrito.
Sempre soube que existia um mundo esquisito,
Revestido com pastilhas de menta e eucalipto,
Coloridas como belos e redondos pirulitos,
Doces, doces, doces em um solstício.
Se valesse a pena viver intensamente,
Saberia ver a resposta no fim da minha vida,
Onde estaria prestes a fazer a partida,
Para um mundo mais leve e menos denso,
Um mundo menos traiçoeiro e mais cheio de bênçãos,
Seria um espectro colorido e cheio de vida.
Tudo isso eu previa apenas com um acontecimento,
Uma oportunidade sem nenhum julgamento.
Sentia-me feliz e motivado,
Por que enfim alguém estava me apoiando e do meu lado,
E fazendo com que as coisas fizessem algum sentido,
Alguém restaurou em mim a felicidade sem motivo,
E ninguém mais me faria perder o sorriso do rosto.
Vivia com meus olhos erguidos acima da linha do pescoço,
Não fazia mais questão de olhar o chão em que pisava,
Buscava um destino mais adiante,
Pois me sentia muito mais confiante,
E sabia que tudo que planejei já estava sendo executado,
E que os frutos de meu trabalho já estavam resguardados,
Para um futuro de gerações que não pensarão.
Se continuar escrevendo palavras me faltarão,
Então abri minhas pálpebras pesadas, e pude enxergar mais ficção.

By: Eyke. ATaaJA.


22.9.12

Equinócio De Setembro III

Feito em 21 de Setembro de 2012...
Conflitando aquilo que eu já fiz,
Reinventando aquilo que nunca foi feito,
Não tenho mais como desequilibrar,
Ou não evocar a minha essência e meu deleito.
O três que faz parte de mim, por que eu fui tantas vezes eleito?
Se for fazer seja completo, faça tudo mais que perfeito.
Não caia nessa nova onda, de julgar um pensamento.
Olhe para o espelho e acredite. Alguém já inventou o melhor momento,
Aquele em que você não pode mais fazer nada.
Equinócio do julgamento, Equinócio da vida regenerada.
Julgam nossas roupas, devemos sair pelados,
Para julgarem os nossos corpos, pensarmos que não somos nada,
E morrermos enclausurados, acreditando que essa é a estrada.
Para não nos julgarem nós somos mortos,
Para a justiça e julgamento do divino, um bando de tortos,
Seguindo quiçá alguma salvação.
Buscando sem fé por mais falta de convicção,
Fechando a porta que sempre esteve aberta.
Se de portas fechadas as pessoas são o que deveriam ser,
De portas fechadas o mundo parece não ver,
Preferem esquecer que existem as janelas,
Que julgam se você deve ou não deve ver a luz do sol,
O julgamento necessário da vida do lado de fora.
Escondido atrás da porta ouve-se apenas julgamento,
As pessoas tão hipócritas rasgando a boca, falando a todo tempo,
Humilhando e debochando, isso é falta de conhecimento.
Querem relacionamentos eternos? O que o homem está criando?
Uma merda toda feita de ferro, sem coração está lutando,
Nascendo nesse jogo, quebrando barreiras e ganhando.
Mas, acredite. Ninguém mais pode é nada, o mundo esta acabando.
Desiludido nos meus sonhos eu pensava em morrer.
Se pudesse padecer estariam em meus planos,
Um dia poderia fazer aparecer,
Aqueles belos paraísos dos meus sonhos, que eu sempre pude prever.
Não me julgue por não disputar o fundo do poço,
Quem tem opinião come carne, e não fica roendo o osso.
Condenado está quem não julga a vida do lado de fora.

By: Borboletas Selvagens.


Recordar É Viver


Eu sempre soube que o destino não é feito apenas de ganhos.
Eu sempre soube que é perdendo que se ganha vida.
Eu nunca soube rever os meus planos.
Eu sempre soube achar alguma saída.
Se eu nunca acreditasse nos meus sonhos,
Ainda estaria me lamentando sobre o passado,
Sobre aquelas perdas, a morte ao meu lado,
Ou sobre amar alguém mesmo sem ser amado.
Que tudo seja assim, uma recordação do que é a vida.
Por que se tudo mudar, isso pode ser uma despedida.

By: Eyke.ATaaJA.

3.9.12

O Que Eu Faço?

Feito em 08 de Julho de 2012...
Se isso que faço não for verdadeiro?
Se o sucesso só chegar com desespero,
Das unhas arrancadas uma por uma.
Se for tarde de mais para pedir alguma coisa,
E importar-se com coisas fúteis e sem função,
Com um governo anarquista de opinião,
Das torturas e coisas mais que bizarras.
E se for preciso mostrarei minhas garras?
Prenderão minhas mãos com amarras?
Serei feliz ou fui mais um condenado?
Será tudo mesmo um perigo alertado?
Se isso que faço não for verdadeiro?
Insisti devarde, fui covarde, me entreguei por inteiro?
Perdi meus cabelos para nada.
E se não fechar as respostas das minhas perguntas?
E se me falharem todas as juntas?
Ainda seria tarde para pedir alguma coisa?
O tempo não estaria a meu favor,
Sofreria pela culpa da minha dor,
Os restos dos pesados dias de minha vida.
Devo sair por aquela porta,
Destruir com todas as malditas pessoas mortas?
Se isso que faço não for verdadeiro?
Pecarei se me olhar estranhamente no espelho?
Receberei a vingança do meu próprio veneno?
Serei perdoado? Morrerei devendo?
Serei coroado santo, mais um dos tantos dividendos?
Se meu sonho tão doce for ilusão,
E meus dentes apodrecerem por tanto açúcar,
Deverei voltar a ser alguém normal? Deverei ficar biruta?
O longe fica perto, o perto fica longe.
Secreto fica aberto. Aberto vira monge.
Não serei qualquer um que se oferece por pagamento.
Se isso que faço não for verdadeiro?
Serei usado e abusado,
Mais um dos roubados,
Para chegar ao nada?
Cabeças serão cortadas,
Pessoas serão caladas,
Cidades serão derrubadas,
Nada mais será derrota.
Mas isso? Pouco ou nada me importa!
Acredito agora que não preciso ser verdadeiro,
Ninguém precisa saber o que o faço o dia inteiro.
Se isso que faço não for verdadeiro?
Dividirei mais misérias com os pequenos?
Perdi meu tempo me envaidecendo?
Cresci a toa. Nasci e fui morrendo?
Ao menos reconheço que podia ter sido diferente,
Poderia ter tomado um caminho mais descente,
E perdido todo esse prazer que tive na vida.
Não banque o palhaço! A fera ferida!
Se não for verdadeiro você não foi normal,
E nunca precisou de nenhuma moral,
Para calar a boca desse tanto de gente.
Se isso que faço não for verdadeiro?
Será que eu fiz muito drama?
Me enfurnei demais na lama?
E acabei por estar sendo enganado.
Por vários crimes serei condenado?
Foda-se tudo, quem sabe quando tudo vai terminar?
Cansei de pensar no passado,
O momento é agora, tenho coisas para acabar.

By: Lord Swaam.