18.12.13

Mãos Brancas

Foi difícil chegar aqui, então eu não desmorono,
A vida leva alguns, mas alguns não me abandonam,
E minhas mãos até então negras vão assumindo outra cor,
É perdoando que se é perdoado, vivendo na alegria e na dor.
Mãos brancas, enfim eu posso te retirar um sofrimento,
E patas de um coelho acima de céu e firmamento.
Eu digo sim: eu nunca quis sofrer,
Tenho medo da minha doença e às vezes de me exceder.
Tirei as luvas, estou tentando controlar minha obsessão,
Enfim eu enxergo meus erros e minha total incompreensão,
Não foi desta forma que queria poder ver,
O que me cerca neste fascínio por ser.
Ser alguma coisa, alguém, fazer em algum lugar,
Uma obra prima, um futuro brilhante, um projeto lunar,
Criar uma arte, mais arte do que alguém já viu,
Enfim eu enxergo, não sou nada e ninguém insistiu,
Para eu ficar um pouco mais ou em algum momento,
Um pouco mais ácido, demonstrar um pouco mais de talento,
Eu sempre fugi daquilo que não podia controlar,
Então chegou a hora de abrir meus olhos e enxergar,
Eu posso querer que tudo esteja programado em determinada hora,
Mas deixar tudo se indo, sem dar nenhuma mesmíssima bola?
Esta desculpa já é antiga, lá do meu tempo de escola,
“Um avião sem assas é lógico que não decola”.
Eu peço perdão se errei em alguma coisa neste ano,
Neste mundo, neste instante, às vezes banco o insano,
Perco meu sono falando com unicórnios e coelhos,
Às vezes isso me ajuda a aceitar os meus defeitos sem ouvir conselhos.
E quase por fim eu vi que não posso mais acreditar em nada,
Minhas mãos estão brancas e meus pés pisam forte na estrada,
Um ano em uma vida nos modifica e transforma,
É coisa de gente louca que acredita e dá forma:
“Ou criamos um belo mostro, ou um mostro nos devora!”.

By: Não sei.

11.12.13

Mr. Rabbit and the Crown



Down and down. The Rabbit was crowned.
Down and down. The treasure was found.
Down and down. The Rabbit was in this town.
Down and down. The tragedy can be heard loud.

Welcome to the Tea Party, in this beautiful city,
Full of souls willing to fight for fame,
I can call me Ayke, Maverick, Darie or Billy,
But the Queen of Hearts wants your head in the game.
Is heads or tails? Left or right? Up or down?
If the Rabbit is free, so I’m the Rabbit and the crown.

Down Mr. President! His old friend Mr. Rabbit is here!

Cut many heads. I won’t be beheaded.
We all possess the best slaves or allies.
I don’t wanna you to fells a clown more persuaded,
Mr. Rabbit has a little pity! His hand electrifies.
heads or tails? Left or right? Up or down?
If the Rabbit is free, so I’m the Rabbit and the crown.

My characters are stars. I climb to the stars! OF LOW! DOWN.

Welcome to the RABBIT HOLE! DOWN!
So I’m the Rabbit, so I’m the crown!
This is my Tea Party, I served your heart,
My Slow Rabbit, Snow Rabbit, Show Rabbit, HE and the ART.

By: Sr. Ráßßit.

7.12.13

Amargura


Amarguei a boca. Posso pensar no pior em um instante.
Três minutos são mais do que suficientes:
Uma dose de drogas do tamanho de um elefante,
Um remédio para dormir para pessoas dementes:
“Abra sua boca e me mostre seus dentes!”
“Senhor Coelho, para onde estou indo?”
“Não demonstre fraqueza, continue sorrindo!”
“Mas e se o caminho for difícil, e se cair e não puder me levantar?”
“Às vezes é mais fácil o caminho quando se tem alguém para ajudar!”
“E quem pode me ajudar assim tão fácil, sem alguma lição?”
“Eu, o senhor coelho, preso em minha toca no seu coração!”
“Mas se meus olhos permanecerem fechados para sempre,
E meu coração tão amargurado insistir em dizer,
Que o meu caminho não é mais o iluminado?”
“Ilumina-te!, Ainda a muito para se fazer!”.
“Como Senhor Coelho? O que você pode fazer?”
“Eu posso ligar para o presidente apertar um botão,
Lançando um míssil que mate um quarto de toda população!”
“Mas Senhor Coelho, o que posso dizer sobre o fato?”
“Apenas continue sorrindo, mostrando coragem se não eu lhe mato!”
Amarguei a boca. Acordei do pior por um instante.
Longas horas se passaram e aqui tudo ainda é igual.
Mais uma dose de drogas do tamanho de um elefante,
Olhando nos meus olhos: “Perdemos o sinal!”
“Capturamos uma nova vida estranha ao nosso planeta!”
“Ele está acordando, toquem todas as trombetas!”
“Ainda estamos sem sinal, ainda não podemos confirmar nada!”
Amarguei minha boca, minha mente me pregou uma cilada,
Não penso em mais nada, não quero mais nada, confirmar nada...
Entrei neste jogo? E agora por qual estrada?
Encruzilhada. Sim. Encruzilhada.
Amarguei minha boca, relaxe seus músculos.
Relaxe sua mente, “aceita um chá?”
“Ei falei com você!, Aceita mais chá?”
“Senhor Coelho, fiquei preocupado, o que me aconteceu?”
“O que sempre acontece com as pessoas. Você se perdeu!”
“E onde estou agora? Isso tudo é real?”
“O real não existe, e você é especial!”
“E qual é o preço de tudo isso que você está me mostrando?”
“O preço? Que preço? Você está duvidando?”
“Eu estou colocando apostas altas neste jogo!”
“Eu gosto de apostas, mas fale com o lobo...”
Amarguei minha boca. “Por que precisam prender meus braços?”
Meus olhos estão fechando e Deus sempre esteve presente.
O meu corpo pesa após tantas derrotas e fracassos,
Deram-me para dormir um remédio para gente demente.
“Então você está aí não é Senhor Coelho?”
“Você deve estar enganado... Eu não sou o Senhor Coelho?”
“Tentando mentir para mim? Eu sou um lobo velho neste mundo!
Nada se esconde dos meus olhos, nem mesmo em um abismo profundo!”
“O meu Deus eu sou o Senhor Coelho! E o Senhor Coelho sou eu!
Eu não estou ficando louco! Eu sou aquilo que ele me prometeu!
Posso perder todo o meu tempo, divagando sobre o prêmio Nobel!”
“Você deve tudo que tem ao velho clã deste lobo solidário!
Não tente fugir, muito menos enganar, nunca fui otário!”
Acordando um, dois, três... “Perdemos o sinal com a Terra!”
“Minus, Pinus, Sinus, Linus”
“Mars, mars, mars, stars!”
“Minus, Pinus, Sirinus, Linus”
“Mars, Lars, Mars, Stars”
“Não podemos mais enxergar de onde vem tanta luz!”
“Esse pode ser o nosso fim!”
Acordando no um, acordando no dois, acordando no três...
“Os alienígenas nos abduziram! Mars, Sirinus!”
“Ele não está respondendo, tente mais uma vez!”
“Acordando Senhor Coelho!” “Um” “Mars, Sirinus” “Dois” “Demente” “Três”.
“Ele voltou a vida!” “Está acordando!”
Acabei de sonhar que estava com minha boca amargurada,
E que não tinha mais solução para nada,
E que por mais que tentasse tudo sempre dava em uma encruzilhada,
E quando vi já era passado da hora de tomar o meu chá,
Então fiz questão de ligar para o senhor presidente apertar o botão,
Não que a amargura me deixe com uma sensação má,
Mas queria ver o mundo zerado na destruição.
Bom, obrigado por me fazerem voltar a vida,
Mandem lembranças para o lobo.

Atenciosamente, Senhor Coelho!

Feito em 07 de Dezembro de 2013.