29.1.14

Inversão

Lua cheia é trabalho em vista,
Um lobo que uiva por um passado morto,
O seu nome está bem abaixo na minha lista,
Você ainda pode festejar por aí solto.
E não é mais por uma questão de ser louco,
Hoje tudo vale muito mais a pena,
Não me interesso nem pelo muito e nem pelo pouco,
E não busco mais por um momento de cena.
Trocaram os lugares, os ambientes de criação,
Hoje estou em um curta-metragem de ação,
E virei um homem balão que viaja pelo céu,
A lua me cativa e eu tenho o meu troféu,
Um pouco acima do limite do universo colateral,
Um pouco abaixo do carma e inferno astral.
Meu mundo de ponta cabeça para baixo,
Onde é que eu posso? Onde é que me encaixo?
Meu mundo de cabeça para baixo,
O que é que eu faço? O que é que eu faço?
Lugares invertidos, papéis que não se encaixam,
Pessoas que me detestam e me deixam para baixo,
Mas de que lado eu me encontro, o que é que eu faço?
O meu mundo está todo de cabeça para baixo!
Eu não acho que eu posso muito menos que me encaixo,
Um mundo oposto que acabou de cabeça para baixo.
Não adianta tentar calar uma disputa,
E muito menos parar para ver quem vence,
A vitória adequada só vem pela labuta,
E a labuta é sólida como o ar que a pertence.
Tentando eu sempre cheguei a algum resultado,
Então tentei subir uma montanha russa virado,
Acabei perdido, desavisado e drogado,
Mas ainda tento me manter acordado.
Quero ver o sol nascer do meu corpo para todo lado,
Acelerar o gosto do extravagante e exagerado,
Pois não me importo se o lugar foi preenchido,
Na minha cabeça eu já me sinto muito bem resolvido,
Atento com os olhos e muito bem precavido.
Eu estou de cabeça para baixo esperando o mundo girar,
Não se atreva a me deter, um dia isso iria chegar,
Andei milhas plantando sonhos na inversão para perceber,
Que o que deve mudar é o sentido e não a força,
E me deparei com barba no rosto e fui obrigado a crescer,
Mesmo sabendo que por mim ninguém mais torça,
Isso uma hora iria acontecer, então atenção e ouça:
Inversão de fatos e lutas diárias, desejos e vontades,
Inversão de hábitos e gostos fantásticos, de lados e de maldades,
Inversão de giros, gritos, cores e opiniões,
Inversão de vozes, de pessoas e de criações.
Sou inverso a mentira, inverso a coisas inacabadas,
Meu mundo é girado e feito por peças montadas,
E se tiver que dar uma volta, volta e meia eu vou dar,
Inversamente proporcional, onde eu devo me encaixar?

By: AleXander.PiLLs.
Feito em 29 de Janeiro de 2014.

24.1.14

Maturidade Espiritual

Não sei onde minha mente vaga, lugar nenhum quem sabe,
Às vezes uma cabeça é pouca, é tanta informação que não cabe,
Eu sinto que existe alguma coisa dentro de mim,
Um espírito vibrante que ameniza meus sofrimentos,
E sempre que chego a mais um fim,
Não me cabo em mim por alguns momentos.
É como se tudo até então fosse aquilo que era,
Depois do até então não faço mais nem idéia,
E mesmo você estando sempre na espera,
A sua vida vira uma imensa diarréia!
Saiu da rota, colidiu no percurso,
Uma alma madura que hibernava como um urso.
Tenho 21 anos e não uma fórmula pronta,
Sou educado, por isso digo que quero um pedaço,
Não quero mais atrevimentos, quero uma afronta,
Quero parte daquilo que é meu neste espaço.
Prenderam-me pelo pescoço, coisa de gente crescida,
Minha incrível e maravilhosa década de vida.
Guardei as armas e a tristeza recolhida,
E resgatei todas as chances e esperanças do ato.
Quero um lugar que não existe,
Quero um lugar que eu mesmo faço,
Quero traçar uma rota sem seu palpite,
Quero viver e querendo eu não posso.
Um mundo que é meu, um sonho que é nosso,
Sozinho eu possuo, vivendo eu não gosto,
Uma biografia de alma psicografada no póstumo.
Onde eu estou e qual é o meu lugar?
Não posso mais cruzar meus braços e aguardar,
Tenho 21 anos e não uma fórmula precisa,
Todas as táticas que minha alma usar,
Você finge que vê e analisa.
Preguei a palavra necessária para o momento,
E odeio quando insisto e mesmo perdendo não me lamento,
Odeio quando é isto ou aquilo lá,
Odeio o ódio e odeio até mesmo amar.
Tenho compulsões rebeldes e tardias,
Isso explica as minhas personalidades sombrias.
Tenho 21 anos e não uma questão formulada,
Meu limite existe na palavra não dita ou na falada,
Está próximo o limite do mundo esquecido,
O garoto de dentro de mim está crescido,
Virei um homem de estatura média e comedido,
Um pouco mais sombrio e muito mais evoluído.
Estabelecido aquilo que eu posso e não posso,
De fronte do que é correto e incorreto,
Minha alma está madura o suficiente,
Para adentrar no universo secreto.
Lugar nenhum, sim existe! E resolvi que esse é o meu lugar,
E se a minha cabeça é pouca, ideia não vai me faltar.
O espírito é leve, o espírito mudou para mudar,
Se não existe o meu espaço, então vou continuar e tentar.

By: Alma.

22.1.14

Paloma Faith - Upside Down













Aguarde por notícias das novas!... Vamos começar coisas sem sentido?

By: Vinicius André

Rumo a minha vida de 21 anos....

:)