28.3.15

Illuminati

Feito em 23 de Março de 2015...
Eu ainda acordo pela manhã e tomo o meu café,
Com um belo pedaço de bolo que eu mesmo preparei,
Ainda terei as mesmas correntes amarradas no meu pé,
Mas mesmo assim eu nunca saberei,
Por que o sol ilumina a cabeça por cima,
Se mudaram as estações então me ilumina,
Existe um padrão de ordem neste universo,
Escrito dentro de salas escuras e pelo inverso,
Uma metodologia Illuminati de ensino,
Uma dose de amor com ódio e fascínio,
A palavra que eu procuro em um dicionário,
Maior do que um líder ou um revolucionário.
Isso não tem nada a ver com a dama escarlate da babilônia,
Nem mesmo com minhas perturbações e com a insônia,
É mais uma guerra interna e paralela,
Uma metodologia Illuminati do planeta Terra,
Que me faz ser grande o suficiente para ser um homem,
Os meus medos e as minhas angústias me engolem,
Nada mais é certo e nem tem um lado correto,
Essa é a certeza que me alerta e me deixa liberto,
De um cárcere privado de clausura e decepção,
Pois iluminei a minha face com um sorriso sem emoção,
Um belo e grande sorriso que não constava no meu contrato,
Um jovem doente e sonhador que não aprecia o contato.
Mas me ilumine com um 13 de grandeza,
Uma contagem regressiva que considera o fim um começo.
E derruba o poder de duas estruturas com moleza,
Em nome de Deus que é carne e sangue e eu reconheço,
Como o mentor de uma negação psicológica,
De um infinito superior ordenado pela forma cronológica,
Onde um tempo é parcela e é perfeito,
E conspira com o mau e o meu defeito.
As grandezas físicas estão situadas nos elementos,
No domínio do homem sobre os conhecimentos.
Illuminati é um símbolo triangular que vê você,
Uma metodologia sem gênero que eu assisti na TV.
Existe uma ordem e um padrão no universo.
Dentro de mim e deste verso inverso.

By: Vinicius Osterer

Sr. Suicídio

Feito em 28 de Março de 2015...
Disseram-me que eu tenho até o suicídio,
Em meu nome original de trás para frente,
E que às vezes eu fico bem constrangido,
Quando me olham de perto e fixamente.
Dizem que da morte eu entendo,
Por que imagino como morrer e não compreendo,
Por que as coisas não me afetam de fato,
Eu tomo uma cartela, já incerto,
Eu fico imóvel e me liberto,
E por um pouco eu quase me mato.
Eu tenho um sorriso estampado com algo negro,
Às vezes eu sou um alguém e não cedo,
Sou um Senhor formado com bacharel em suicídio,
Eu acabei com a minha própria vida,
Por que não achei uma melhor saída,
E acabei trancafiado dentro do meu presídio.
Um subsídio, um homicídio, um genocídio,
Sou um Senhor formado com bacharel em suicídio.
Não tenho palavras para descrever e redesenhar,
Eu sou mais do que uma figura complementar,
Se uma dose foi pouca para acabar,
Eu quero três doses, quero morrer, quero me suicidar.
Eu não sou essa falsa alegria e toda esta força,
Eu sou apenas uma caça, uma vergonha, sou um repúdio,
E eu não estou pedindo para que você torça,
Que eu dê os meus primeiros passos neste imoral prelúdio.
Eu tenho a morte como uma convicção e certeza,
Um dia ainda você enxergará a beleza,
De poder possuir aquilo que não se possui.
É tanta informação para tão pouca alma,
Um tiro na cabeça é uma ideia que me acalma,
Um passo a mais que me perpetua e evolui.
O Senhor Suicídio acabou com a sua chance,
Dançar e dançar, vamos dançar, apenas dance,
Por que existe um lugar para quem quer morrer.
Um subsídio, um homicídio, um genocídio,
Um Senhor formado em suicídio, que aprecia sua vida e quer viver.

By: Vinicius Osterer

Eutanásia

Feito em 22 de Março de 2015...
“Eu não me importo com isso”, dizia ela durante o fato.
Por que eu não tiro a minha vida? Por que eu não me mato?
Tinha passado por algumas experiências ruins,
Coisas que em muitos aspectos são boas.
E hoje eu simplesmente coloquei minha cabeça em um travesseiro,
E dormi em uma cama usada e em um colchão sem conforto,
Forrado com um cobertor para não doer as minhas costas.
Eu nunca pensei em mim mesmo e hoje tenho respostas,
Hoje eu consigo enxergar melhor o “não me importa”,
Consigo compreender que já sou uma pessoa morta,
Que não irei conseguir ser independente em alguns aspectos,
Como no meu bem estar pessoal e em outros sonhos de liberdade,
Minha mãe, hoje eu estou com muita saudade!
Por que não posso me injetar uma dose letal de remédios,
E descansar em um sono profundo e revigorante?
Por que não posso mais suportar estes tédios,
Dos dias terríveis, dos constrangimentos de dor massacrante?
Eu queria a eutanásia. Já não quero mais viver por aqui.
Eu cansei de me justificar, de ficar e ir ou de nunca sair.
Eu cansei do meu corpo, dos meus sonhos, dos meus objetivos,
Eu cansei do meu jeito, dos meus defeitos, dos meus motivos,
Eu cansei de não poder, de não conseguir, cansei até de ser,
Cansei de mentir, de me digerir e de não compreender.
Eu espero que isso mude a tempo das minhas responsabilidades,
Talvez eu nem volte, assim eu não sofro, cansei das “anormalidades”,
Cansei de não sumir, de não realizar o ato de tirar a minha vida,
Cansei de buscar e de nunca encontrar alguma esperança ou saída.
Pois bem, hoje nem mesmo um gorro e uns óculos falsos mentem,
Eu quero morrer, quero a eutanásia e uma dose letal na veia.
E essa é a verdade. Não digam menos e nem mais e nem inventem,
A minha vida é desinteressante e a sua opinião é alheia.
“Eu não me importo com isto”. Mas eu já me importei com você.
Eu já desejei o seu melhor, já quis ver você melhor,
Já quis realizar os seus sonhos e seus desejos.
Hoje não quero mais. Hoje consegui acreditar no seu egoísmo.
Por que eu não tiro a minha vida? Por que eu não me mato?
Por que eu nunca agradarei, e acabei este relato.

By: Vinicius Osterer

Só Por Hoje

Feito em 21 de Março de 2015...
Hoje. Não sei mais o que é este hoje.
Eu acho que nem estou mais aqui.
Por quê? Por que fui morrendo aos poucos,
Deixando que faltassem os poucos do meu ser.
E se fazem falta? Como fazem falta!
Eu já fui tanto pouco. Mas nem sei mais quem sou por inteiro.
Eu não tenho mais a mesma certeza se eu quero tudo isso.
Minha única certeza é que queria estar morto.
Mas, não é mais fácil morrer do que viver?
Não. Nem sei mais o que é este hoje,
E hoje só quero é não saber mais de nada.

Estou precisando ir lá fora,
E me embebedar com a luz das estrelas.
E parar de dar importância e bola,
Para pequenas coisas que são apenas besteiras.
Eu me perdi dentro de mim mesmo, um labirinto,
Busquei hoje as respostas dos meus questionamentos,
Mas não é fácil descrever tudo o que sinto,
Fui morrendo aos poucos em vários momentos.
Eu nem sei se é mais fácil vomitar ou ter uma diarreia,
Ou não mais acreditar e viver em uma grande miséria,
Por que é mais fácil desistir do que continuar lutando?
Por que hoje eu nem sei o que está me faltando?
Talvez um pedaço de intestino e um pouco do igual,
Da normalidade de um homem público moderno e social.
Eu quero dormir para que você não me veja,
E quero morrer antes que você esteja,
Participando das minhas convivências cara á cara.
Eu desejo o que todo mundo deseja,
Eu almejo o que todo mundo almeja,
E mesmo assim não sou todo mundo nem na marra.
Eu queria estar morto e acreditar,
Que eu viraria uma estrela á brilhar,
Dentro de uma imensidão de massa escura,
Que compartilha a solidão de minha madrugada e rua.
Mas só por hoje eu não quero mais pensar em nada,
A minha noite acabou ficando amarga e pesada.

By: Vinicius Osterer