30.12.15

Que Porcaria é Essa?

Que porcaria toda é essa?
No que foi que me transformei?
Essa porcaria é solitária e tão boa,
É um sentimento que há tanto tempo eu sonhei.
Eu olho para tudo que é possível fazer,
Pelas atitudes que me transformaram deixando-me feliz,
Um homem realizado, muito prazer!
Um homem completo, como sempre se diz.
Mas eu não quero ter um nome errado,
Eu não quero ofender os meus dois grandes ícones,
Adeus David e adeus Bukowski,
Eu sei que eu passei todos os meus limites.
Que porcaria toda é essa?
É o fim de uma coisa que nem vingou,
No que foi que me transformei?
Eu não sei, mas alguma coisa mudou.
Sou um homem realizado, muito prazer!
Com tanta coisa para falar e tanta coisa para fazer!

By: David Bowiekowski
Feito em 26 de dezembro de 2015.

29.12.15

Agonia Vespertina

A vida me tirou aquele sorriso tão cedo,
Me deixou velho quando era bem jovem.
Hoje eu me deparei com a morte sem medo,
E sei que isso vai acontecer, pois sou um homem.
Todo ser humano morre e envelhece,
Todo ser humano fica sábio e enrugado.
Quando menos espera ele padece,
E as coisas ficam no incompleto e inacabado.

By: David Bowiekowski
Feito em Dezembro de 2015.

Agonia Matutina

Hoje mais do que nunca, queria estar entre os mortos,
Por que nunca ouvi nem mesmo um obrigado,
Com os meus cabelos vermelhos e meus dentes tortos,
Estar em outro plano e cruzar o outro lado.
Só escuto coisas ruins e sinto que terei uma crise,
Paro de comer e me retiro da mesa.
Já vi isso em um dia de reprise,
Onde comi a minha dor de sobremesa.
Estou nublado como o tempo lá fora.
A minha crise de agonia, vai passar já é uma hora,
O silêncio da minha casa é o meu aliado.
Um dia eu estarei feliz e enterrado,
Isso é tudo por hoje.

By: David Bowiekowski
Feito em 08 de Dezembro de 2015.

27.12.15

O Ciclo de Luas

Eu sempre cumpro o meu ciclo de luas,
Eu faço e refaço o meu calendário,
Correndo e andando pelas ruas,
Começando e concluído trabalhos.
Eu acendo e eu apago minhas velas,
Eu bebo vodca e eu fumo cigarros,
Eu prendo e eu solto todas as feras,
Com os meus pensamentos normais e bizarros.
Eu sempre cumpro o meu ciclo de fases,
Eu refaço e redigo o que eu mesmo fiz,
Eu brigo comigo e depois faço as pazes,
Como se isso fosse tão fácil como se diz.
Eu jogo no lixo e eu me arrependo,
Eu pinto com tinta então eu repinto,
Mas isso é o motivo pelo que eu estou crescendo,
E este é o motivo pelo qual eu sinto,
Que meu ciclo de luas está se refazendo,
Eu faço e refaço, isto é para agora,
Nas ruas escuras e estreitas da minha alma,
Alguém bem no fundo não me adora.
Eu cumpro o meu ciclo, concluo o trabalho,
Apago as velas e aumento a minha religião.
Abri e fechei o meu velho dicionário,
Baseado no ciclo da lua e da escuridão.

By: David Bowiekowski
Feito em Novembro e Dezembro de 2015.

26.12.15

Amor de Domingo

Não sei o que pensar ou como agir,
Queria poder te ignorar e fugir,
Mas hoje pela primeira vez tive aquilo,
Aquilo de novo com você pela primeira vez,
Meu coração só teve aperto, eu não sei como explicar,
Como é possível sentir o que sinto e não te amar?
Eu faço coisas sem pensar, mas você está no subconsciente,
Eu sou mais um homem tão inconsequente,
Que está aprendendo a admirar os seus hábitos,
A sua maneira de falar e a sua maneira de agir.
Você saberia me aceitar na minha totalidade?
Você saberia me enxergar por completo?
Seria mais uma história baseada na imortalidade,
De um sentimento tão pequeno e tão correto?
Queria você de um modo indiscreto,
Queria você apenas como uma propriedade,
Não queria você, mas hoje eu lhe quero,
Para além do tempo e da minha eternidade.
Mas você iria me querer por completo?
Você saberia enxergar o meu amor?
Depois de alguns minutos eu me refaço tão perto,
De você com outro, eu não sabia que isso era dor.
E dói como se fosse a mim,
E passo mais um domingo na solidão,
Abraçado com um travesseiro com medo e frio,
Tentando entender por completo meu coração.
Você atravessaria a minha alma?
Você gostaria do meu lado selvagem?
Você abriria mão de sua calma,
Para viver comigo uma grande viagem?
Eu me senti a pessoa mais horrível do mundo,
Chorei na rua voltando para casa,
E só deparei que bem lá fundo,
O sentimento era grande e me exterminava.
Você produziu em mim um sentimento dúbio,
Não consigo discernir o que é atração e o que é amor.
As suas lágrimas de culpa foram um dilúvio,
Por que não admite que queria transar sem um valor?
Você saberia enxergar o homem que eu sou?
Saberia ver o que meu rosto iria mostrar?
Saberia aceitar alguém que nunca lhe admirou,
Mas resolveu em um domingo apenas te amar?
Não sei o que pensar ou como agir,
Acho que não sei lhe amar então pretendo não mentir,
Eu estive pensado de uma maneira meio inconsciente,
Sou um homem tão longe daquilo, eu sou tão diferente,
Uma amizade eu não digo, um relacionamento também não,
Prefiro ficar aqui sentindo, imerso na minha melhor solidão.
Você não me aceitaria sorrindo, você iria querer saber por que,
E eu iria então me irritar e com certeza abandonaria você.
Eu sou um monstro sem sentimento, você não saberia me enxergar,
E no fim nem existiriam mais motivos para nós nos amar.
Eu gosto desta maneira prática de ver a vida,
Aprender a se entender para não ter que inventar uma saída.
Você não iria gostar de um passeio selvagem,
E eu não iria mudar para agradar os seus gostos.
Melhor partir e guardar você na saudade,
Dos sentimentos que já tive com inúmeras faces e rostos.

By: David Bowiekowski
Feito em 30 de Novembro de 2015