18.10.16

Reforma Amária

Queria dividir pedaços da terra,
Dos amores que você me dera,
Assim desse jeito, sem saber.
E abrir as cortinas das janelas,
Destruir todas as mazelas,
Do meu jeito mínimo de ser.
Do pequeno me dê o grande,
Do grande o significado,
Do médio o tom roubado,
E aquele lindo sorriso amarelo.
Reforma amária é o que eu quero,
Isso tudo com as nuvens do horizonte.
Leve a minha xícara de café,
Leve as minhas poucas roupas,
Só não leve a minha verdadeira fé,
Que vê as pessoas mais leves e soltas.
Eu sei que tem um céu acima do céu,
Eu sei que existe sorrisos só meus.
O banho de chuva que lava,
A minha pele, enaltecendo o amor.
Reforma agrária? Sim, por favor,
Queria dividir um pouco disso com o mundo,
Distribuir amor e felicidade,
Provar um pouco daquilo que você guarda no fundo,
Dentro da memória da eternidade.

Reforma amária? Sim, por favor,
Não queria ver o ódio, mas sim o amor,
Pelo meu jeito mínimo de ser.

By: Vinicius Osterer
Feito em 05 de Outubro de 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário