16.7.17

Um Caso de Paris

Aconteceu em Fevereiro, quando fui para lá em visita,
E espero contar o que muita gente não acredita,
Era conhecido como o estranho caso de Paris,
A pobre menina que ao respirar assobiava pelo nariz,
Deixando seus pais envergonhados,
Indo embora para um subúrbio, desolados.
Minhas tias que nasceram com saltos nos pés alertavam:
“Não vá visitar aquela família”, pois os outros falavam,
E não queriam ser faladas na cidade,
Pegava mal a duas senhoras naquela idade,
Como se o fato de pensar já provocasse contra gosto,
Fizesse a pessoa ter vergonha e esconder o próprio rosto,
Eu não entendia o que haveria de errado,
Não era uma doença ou alguém amaldiçoado,
Então joguei meus cabelos para trás, sentei na minha bicicleta,
Fui atrás da menina que parecia tão secreta,
Escondida nos subúrbios de Paris não turística,
Não haveria em outro lugar uma história mais verídica.
Me descobri nas ruas estreitas de alguns lugares,
Entrei em restaurantes e bebi em vários bares,
Gente de todo tipo que falava sobre o caso,
Sobre a menina que deveria ser um atraso.
Se eu a achei? Não posso afirmar positivamente,
Nesta busca eu me perdi e me entreguei cegamente,
Aos fatos que não pensei que pudessem existir,
E as pessoas que não conhecia e passaram a sorrir,
Quando dizia a eles que perseguia uma curiosidade,
Sobre a menina que assobiava pelo nariz com naturalidade.
E um dia depois de procurar algo que para mim não existiria,
Eu vi uma mulher passar assobiando pelo nariz no fim do dia,
Então entendi que coloquei a força necessária na busca,
E não aproveitei para olhar nas coisas aleatórias e avulsas,
Só então fiquei conhecido como o estranho caso do menino com assas,
Com fogo nos olhos e o peito em brasas,
O menino que queria voar como um passarinho,
Que pegou sua bicicleta e saiu do ninho,
E um dia ganhou assas e planou,
Vicenzo, prazer, aqui estou,
Talvez eu volte para dizer como foi que aconteceu,
A menina que assobiava já morreu,
Mas me deixou um belo par de assas!

By: Vicenzo Vitchella
Feito em 26 de junho de 2017.

4 comentários:

  1. Oi, tudo bem com você?
    (fiquei curiosa pra ler "Precipícios")

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi tudo!! :D E com vc?
      Foi um pequeno erro aki... Era para ser postado no "Senhor da Madrugada" e acabei postando nas poesias... husuhshus Mas já está lá: http://osenhordamadrugada.blogspot.com.br/2017/07/precipicios.html
      :D :D

      Excluir
    2. Tudo bem também!
      Ah, então tá certo haha

      Excluir
    3. Fiko feliz q esteja tudo bem!! :D
      Obrigado pelas palavras!!

      Excluir